Atletas de Rainbow Six já atuaram em outras modalidades de esports



Imagine se amanhã o Neymar comunica sua aposentadoria do futebol para se tornar um jogador de vôlei? Ou se LeBron James, maior astro do basquete na atualidade, deixa as quadras da NBA para se dedicar ao handebol? Surpresas como essas já aconteceram no mundo esportivo no passado, e hoje em dia se tornaram mais comuns com o aumento da popularidade dos eSports. Alguns atletas de ponta que migraram de um game para outro estiveram em ação pelo Brasileirão Rainbow Six 2019, um dos principais torneios de esporte eletrônico do país, que teve sua terceira edição encerrada na Game XP 2019, em uma final histórica que sagrou a Team Liquid como campeã.

Descrição: cid:image012.jpg@01D547C6.A0CB6A80

 

Os motivos para essas mudanças de atletas de uma modalidade para outra são diversos. Alguns tomam essa atitude porque o jogo que se especializaram saiu de moda, por surgir outro com um cenário competitivo mais consolidado, ou simplesmente porque “enjoaram” do anterior. Essa capacidade de adaptação que os “e-atletas” demonstram não é algo comum em esportes tradicionais como futebol, basquete e atletismo, por exemplo.

As competições nacionais de Tom Clancy’s Rainbow Six: Siege contam com players que já brilharam em outros jogos. O fenômeno é compreensível, já que o game ainda é relativamente novo – lançado em 2015 – e, desde a sua concepção, foi planejado para atrair a atenção dos profissionais do ramo.

É o caso de André “Nesk” Oliveira, atleta que fez sucesso em uma modalidade e permaneceu no topo quando migrou para outra. Seu início foi no Counter Strike, na época em que já se destacava jogando com amigos em lan houses e em competições menores. NoBattlefield, “Nesk” também se tornou referência pelo desempenho apresentado ao bater na trave em três oportunidades em campeonatos mundiais. Mas foi no Rainbow Six que alcançou reconhecimento total, com o título mundial na sétima temporada.

Outros dois atletas conseguiram visibilidade no Battlefield antes de mostrarem seus potenciais no Rainbow SixSiegeNa SantosDexterity, mesma equipe de “Nesk”, os players Julio “JULIO” Giacomelli e Rafael “mav” Freitas terminaram em segundo lugar no torneio de BF que reunia as melhores organizações do mundo, em 2015. No R6, também chegaram perto do topo em edições distintas das finais mundiais da Pro League. Na Black Dragons, “julio” fez parte da line-up que ficou na segunda colocação em 2017, e “mav” esteve junto com a FaZe Clan na campanha vencedora do Brasileirão

Descrição: cid:image015.jpg@01D547C6.A0CB6A80

Já Thiago “S3xyCake” Reis, que também fez parte da line-up campeã mundial da Pro League de Rainbow Six da Team Liquid e foi um dos destaques do BR6 2019, chegou a disputar torneios amadores e considerou se tornar um profissional de League of Legends. Já Thiago “S3xyCake” Reis, que também fez parte da line-up campeã mundial da Pro League de Rainbow Six da Team Liquid e foi um dos destaques do BR6 2019, chegou a disputar torneios amadores e considerou se tornar um profissional de League of Legends.



MaisRecentes

Team Empire vence a G2 Esports e conquista o título do Six Major Raleigh



Continue Lendo

FaZe Clan representará o Brasil nos playoffs do Six Major Raleigh



Continue Lendo

ProGaming vence a badalada Red Canids e se classifica para a final do Circuitão



Continue Lendo