Após notícia de condição ‘desumana’, KaBuM! esclarece fatos através de nota oficial



Recentemente,  Guilherme “Vash”, ex-técnico da KaBuM! emitiu um comunicado criticando a estrutura de treino de sua equipe e classificou o local como ‘insuportável’. O ciberatleta afirmou em postagem na web que os jogadores foram alocados em um hostel “improvisado”, quente, sem climatização, sem iluminação correta e até com ausência de filtro de água.

– O hostel era um lugar onde a gente tinha um quarto (para seis pessoas) e uma sala para os pc’s. Nos primeiros dias era praticamente insuportável treinar lá. A sala era muito quente, iluminação horrível, não tínhamos ventilador, ar-condicionado, filtro de água, nada. Era nós sete, contando com o Piroxz (analista da equipe), que ainda não tinha saída, e os pc’s. Apenas dois cômodos para sete pessoas conviverem todo dia – diz um trecho do comunicado do jogador.

Equipe do KaBuM e-Sports

Equipe da KaBuM e-Sports

Através da assessoria de imprensa, a equipe que é a penúltima colocada no Campeonato Brasileiro de League of Legends 2017, afirmou que estava em negociação com a Ilha da Macacada para o CBLOL de 2017, mas uma impossibilidade jurídica e interna da IDM (razões já divulgadas em janeiro – http://e-sports.kabum.com.br/noticias/83-comunicado-oficial), a KaBuM! e-Sports não concretizou a parceria em tempo hábil e, para manter a equipe na competição trouxe de volta toda a gestão de nosso time de LoL para dentro da organização, tendo pouquíssimo tempo hábil para remontar a estrutura existente nos anos anteriores.

De acordo com o planejamento da equipe, a KaBuM iniciou os treinamentos na segunda semana de janeiro. Em paralelo às demandas padrões da organização. Ainda de acordo com a nota da assessoria, a diretoria continuava a busca pela locação de um imóvel para a nova Gaming House.

A Kabum é controlada por uma empresa de mesmo nome que atua no ramo de vendas pela internet.

 

Confira a nota oficial na íntegra: 

A KaBuM! e-Sports vem, através deste comunicado, esclarecer e responder aos comentários realizados pelo player Guilherme “Vash” del Buono, em relação à instalação temporária da equipe, neste incio do CBLoL de 2017.

É importante ressaltar que, como é de público conhecimento, a KaBuM! e-Sports estava em uma negociação avançada de parceria com o grupo Ilha da Macacada, para o CBLOL de 2017. Esta parceria transferiria a gestão da equipe para os diretores da Ilha da Macacada. No entanto, por uma impossibilidade jurídica e interna da IDM (razões já divulgadas em janeiro – http://e-sports.kabum.com.br/noticias/83-comunicado-oficial), a KaBuM! e-Sports não concretizou a parceria em tempo hábil e, para manter a equipe na competição, fez um enorme esforço e trouxe de volta toda a gestão de nosso time de League of Legends para dentro da organização, tendo pouquíssimo tempo hábil para remontar a estrutura existente nos anos anteriores.

A KaBuM! e-Sports é sediada na cidade de Limeira (SP), 140km de distância da capital, São Paulo. Desde a fundação da organização, no ano de 2013, a empresa ofereceu aos seus jogadores uma infraestrutura de altíssimo nível, comparada às melhores GHs do mundo. Nossas Gaming Houses, inclusive, foram noticiadas em diversos veículos de comunicação, exatamente por oferecer um enorme conforto, segurança e uma qualidade de vida de alto padrão

Em janeiro de 2017, após reassumirmos a gestão da equipe praticamente no início da competição, optamos por montar nossa nova estrutura na cidade de São Paulo. A KaBuM! e-Sports entendeu que esta era uma vontade de uma boa parte dos jogadores que já passaram pela organização. A necessidade de viajar de Limeira (SP) para São Paulo era um ponto considerado razoavelmente cansativo para alguns deles, já que, além dos jogos da competição, é necessária a presença em eventos, sessão de fotos e outros compromissos profissionais relacionados à equipe – e a enorme maioria deles ocorre na capital paulista.

Como a competição iria iniciar em poucos dias, buscamos alternativas temporárias para instalarmos nossa equipe, a fim de viabilizar os treinos o mais breve possível. Com isso, representantes da organização conheceram, em uma reunião da ABCDE, o contato de um Hostel que já havia hospedado outras equipes no passado.

Nossa organização visitou o Hostel e destacou ao gerente a necessidade de alguns ajustes para utilização do local como uma base temporária na cidade – entre eles, um link dedicado de Internet de alta velocidade, frigobar, dentre outros. O Hostel se mostrou muito aberto à realização desses ajustes, autorizando nossa equipe a realizá-los. Decidimos, então, que aquela seria uma opção válida e que nos atenderia em um prazo praticamente imediato, dando assim a possibilidade de inicio dos treinos do time, ao mesmo tempo em que buscávamos um imóvel para nossa Gaming House, na cidade de São Paulo. Vale reforçar ainda que o custo para manter a equipe em um Hostel é superior a uma GH própria, no entanto a decisão foi tomada priorizando os treinos o mais rápido possível.

Conforme o planejado, a equipe iniciou os treinamentos na segunda semana de janeiro. Em paralelo às demandas padrões da organização, nossa diretoria continuava a busca pela locação de um imóvel para a nova Gaming House. Como talvez não seja o conhecimento de todos, a locação de um imóvel para a instalação de uma GH acaba sendo mais complexa do que uma locação convencional. O motivo é que, por questões de segurança, todas nossas Gaming Houses sempre são instaladas em condomínios verticais (apartamentos) ou condomínios fechados (casas). Muitos destes condomínios acabam não autorizando a locação do imóvel para esta finalidade, pois diversos deles possuem regulamentos que interpretam esta atividade como uma atividade comercial, ou até mesmo a caracterizando como repúblicas, o que também é vedado por muitos deles.

Após muita pesquisa, no dia 7 de fevereiro, menos de 30 dias após o início dos treinos, encontramos um imóvel que atendia todas estas exigências. Iniciamos então a negociação com o proprietário, nas quais todos os trâmites convencionais de uma locação foram seguidos. A data de liberação do imóvel dada pelo proprietário foi para a primeira semana de março, prazo em que ocorreria a saída do atual inquilino. A organização ainda busca formas de antecipar esta data – sem sucesso até então.

Reforçamos que, desde a época de vigência contratual, a KaBuM! e-Sports  cumpre com todas as obrigações previstas e firmadas legalmente com a equipe. Dentro das responsabilidades assumidas pela organização, estão investimentos como patrocínio, moradia, refeição, equipamentos gamer, logística, entre outros. A fim de garantir melhorias ao cotidiano da equipe, o KaBuM! e-Sports oferece ainda auxílios não previstos contratualmente, a exemplo de serviço de lavanderia delivery.

A organização, inclusive, conta com meios legais para comprovar as despesas arcadas, que incluem cerca de 45 quilos de roupas lavadas, mais de 160 litros de água entregues no local (além de água disponível na cozinha do Hostel), almoço e jantar em restaurante, além de reembolso de despesas.

Para nossa surpresa, após a derrota para a paiN Gaming, no último domingo (19 de Fevereiro), nos deparamos com as declarações públicas do player Guilherme “Vash” Del Buono, em relação às dificuldades encontradas durante a estadia da equipe no Hostel.

Até então, nossa organização estava em contato com os jogadores, a fim de acompanhar e buscar soluções às solicitações feitas em relação à estrutura do Hostel, a exemplo da instabilidade no link de internet, dentre outras. Em todas elas, imediatamente entrávamos em contato com a gerência do local para checar as medidas mais eficientes.

É importante destacarmos também que, assim como informado anteriormente, a KaBuM! e-Sports optou pelo Hostel como uma medida paliativa e temporária, sabendo claramente que a qualidade dos treinos e os resultados desejados estariam possivelmente comprometidos durante este período, já que a estrutura montada momentaneamente estaria aquém daquela que sempre oferecemos aos jogadores em nossa cidade sede. Entendemos ainda que, a mudança no padrão do imóvel foi nítida, em especial para o jogador “Vash”, que já teve a oportunidade de residir em nossas Gaming Houses (descritas por ele próprio como as melhores que ele já morou). No entanto, de forma alguma, esse comparativo se refere ao Hostel como um local de má qualidade, pelo contrário, já que o mesmo já hospedou outras equipes profissionais no passado.

Diante de todo o cenário apresentado, a KaBuM! e-Sports compreende a frustração de “Vash” em relação ao resultado não alcançado, o que, porém, não justifica a conduta adotada pelo mesmo. Após a publicação do jogador, a organização entrou em contato com o midlaner, na terça-feira (21 de fevereiro) para conversar a respeito das críticas mencionadas em suas declarações.  Após esta ligação, a KaBuM! e-Sports também realizou uma conferência com seus jogadores, em que todas as dúvidas e questionamentos dos mesmos, sobre este e demais assuntos, foram integralmente respondidos.

A KaBuM! e-Sports, mantendo sua transparência, espera que, por meio deste comunicado, toda e qualquer dúvida em relação ao assunto, tenham sido sanadas.



MaisRecentes

Análise Press Start – Marvel vs. Capcom: Infinite



Continue Lendo

Análise Press Start – Destiny 2



Continue Lendo

Análise Press Start – PES 2018



Continue Lendo