Análise Press Start – Wolfenstein II: The New Colossus



A Análise Press Start de hoje é sobre um dos jogos mais polêmicos e aguardados de 2017. Racismo e nazismo são apenas alguns dos assuntos que serão abordados. Confira o que achamos de Wolfenstein II: The New Colossus.

The New Colossus começa exatamente após o final de The New Order. Depois de tudo que o protagonista William Blazkowicz passou no primeiro game, ele começa o segundo em maus lençóis. Suas entranhas estão penduradas para fora, e a equipe do Kreisau Circle faz o que pode para tentar consertá-lo. Cinco meses depois, nosso herói finalmente acorda, mas encontra um caos em sua volta. A carismática e enlouquecida vilã General Engel consegue encontrar o navio da resistência, e, no meio disso tudo, sentado numa cadeira de rodas, Blazkowicz deve fazer o impossível para salvar o dia.

Mesmo quando conseguimos nossa mobilidade de volta ao entrar na Da’at Yichud Power Suit, a dificuldade geral do game acaba nos fazendo morrer uma e outra vez enquanto explodimos cabeças de nazistas e enfrentamos máquinas absurdas de destruição em massa. Mas Wolfenstein II: The New Colossus também pode ser jogado de maneira stealth. A maior parte das missões são divididas em setores onde um capitão é responsável por chamar os reforços. Com isso, cabe a você decidir se quer abordar a cena no estilo Rambo ou incorporando o Metal Gear que há em nós. Nem sempre é possível eliminar inimigos na surdina, mas, conforme vamos acumulando mortes nesse estilo, somos recompensados com habilidades especiais, como maior velocidade ao se movimentar agachado.

Apesar do bom humor que The New Colossus possui, o game também contém diversas cenas que beiram o grotesco e que não devem ser experimentadas por crianças. Logo no início temos um exemplo claro de racismo quando somos transportados para uma memória da infância de Blaskowicz, onde seu pai fica irado ao vê-lo na companhia de uma menina negra, e agride sua mãe antes de forçá-lo a matar seu próprio cachorro.

Essas cutscenes, apesar de, em alguns momentos, serem traumatizantes, mostram um dos pontos mais fortes de The New Colossus. É incrível o trabalho realizado tanto na direção quanto na atuação dos personagens do game. Apenas um exemplo de que mesmo uma história absurda e exagerada se torna crível com um trabalho desse nível.

CONCLUSÃO

Wolfenstein II: The New Colossus é uma evolução incrível de um já excelente The New Order. A jogabilidade é fluida e divertida, mas sem perder sua dificuldade. A trama é muito interessa, e, apesar de absurda, as cenas são muito bem dirigidas e a atuação dos personagens dignas de Hollywood. Sem dúvidas uma prova clara de que ainda há muito espaço para games exclusivamente singleplayer no mercado.

PONTOS POSITIVOS

– Cutscenes sensacionais
– Equilíbrio entre humor e assuntos mais pesados
– Jogabilidade variada e divertida

PONTOS NEGATIVOS

– Não há!

NOTA: 10

Gostaríamos de agradecer à Bethesda, que nos cedeu uma cópia de Wolfenstein II: The New Colossus para PS4, plataforma usada nesta análise.



MaisRecentes

OneShot é oficialmente lançado no Brasil



Continue Lendo

Showmatch de PUBG atrai fãs e lota arena de eSports na Comic Con Experience 2017



Continue Lendo

e-Sports: Flamengo fecha com importante parceiro



Continue Lendo