Análise Press Start – Watch_Dogs 2



A Análise Press Start de hoje nos leva a um mundo futurista, onde nosso celular é capaz de hackear e controlar praticamente tudo à nossa volta. Confira o que achamos de Watch_Dogs 2.

Definitivamente uma versão 2.0

Quando o primeiro Watch_Dogs foi lançado, lá em 2014, a expectativa criada em torno do game era absurda. Infelizmente, o produto final não correspondeu ao hype, e o público gamer clamava por uma versão melhorada.

Assim, dois anos depois, a Ubisoft se arriscou ao anunciar que Watch_Dogs 2 estava sendo produzido, e que iria corrigir todas as falhas de seu antecessor, finalmente atendendo às expectativas da comunidade.

Mas por que dissemos que a Ubi se arriscou? Ora, se a expectativa já era alta no primeiro game, imagine com a promessa de finalmente termos o game que queríamos desde o começo?

Pois bem, Watch_Dogs 2 é maior e melhor que o primeiro. A sensação que temos ao jogá-lo é que a de que nunca mais conseguiremos voltar ao seu ‘irmão mais velho’. A sequência é superior em todos os quesitos possíveis.

Uma trama moderna para um mundo moderno

Se a trama de vingança, com um protagonista blasé como Aiden Pearce realmente nos deixou desapontados em Watch_Dogs, isso não acontece em seu sucessor. A história de WD2 começa com nosso personagem invadindo o prédio onde os servidores do ctOS 2.0 estão, com o objetivo de apagar seu histórico criminal, criar um novo e deixar uma porta de entrada para invasões futuras.

Toda a atividade está sendo monitorada por um grupo de hackers, chamado DedSec, e após ser bem sucedido, Marcus é aceito como novo membro e trabalhará para ‘derrubar o sistema’.

Apesar de ser um tanto quanto clichê, a trama de Watch_Dogs 2 funciona justamente pela maneira como ela é contada. O grupo de protagonistas é formado por pessoas que foram prejudicadas de alguma maneira, e como os integrantes representam diversas etnias, parece mais fácil que o público se identifique com um deles.

Uma vez dentro do DedSec, Marcus e seus companheiros devem por em prática seu plano para derrubar o ctOS 2.0, instalado em San Francisco pela Corporação Blume. Para isso, ele deve fazer favores a algumas das pessoas mais influentes da cidade, visando aumentar a popularidade do DedSec.

Parece que a Ubisoft realmente quis mostrar logo de cara a que veio com Watch_Dogs 2. Além da trama mais profunda e envolvente, cada ação nossa parece ter um peso para nosso futuro no game. Já falamos dos seguidores que conseguimos para ampliar a popularidade do DedSec, mas também estamos constantemente ganhando dinheiro, que é usado para comprar novos carros e equipamentos, e pontos de pesquisa, que nos dão mais opções no repertório de habilidades de Marcus.

Uma San Francisco colorida e vibrante

Mais um ponto em que Watch_Dogs 2 supera seu antecessor é na cidade onde o jogo ocorre. Se no primeiro game tínhamos uma Chicago fria e sem graça, a San Francisco que encontramos no segundo é simplesmente estonteante.

As cores são mais vibrantes, e o ambiente que nos cerca á bastante detalhada. A Ubisoft mandou bem demais na recriação das principais características da cidade, trazendo um universo vívido e envolvente.

Toda a beleza da cidade fica mais evidente com a interface do jogo. Hackear é muito simples e divertido com as constantes informações que aparecem na sua tela. No começo pode parecer muita informação ao mesmo tempo, mas com o tempo fica mais natural.

Jogabilidade ainda mais fluida e envolvente

E por falar na jogabilidade, Watch_Dogs 2 supera seu antecessor também nesta área. Hackear é muito mais intuitivo e natural. Um menu mostra as opções com ícones de fácil reconhecimento, assim, sempre é fácil saber qual botão apertar para fazer o que se deseja.

A variedade de opções que temos para conseguir um objetivo através de um hackeamento é enorme. É possível controlar praticamente tudo na cidade, seja veículos, semáforos ou equipamentos eletrônicos que distraem ou até mesmo nocauteiam os inimigos.

Dirigir é outro ponto que melhorou em Watch_Dogs 2. É muito mais escancarado o que cada veículo consegue fazer. Velocidade, controle e até mesmo a durabilidade de cada um são mais aparentes, deixando mais simples descobrir qual é o mais indicado para cada momento do game.

Gostamos muito da ideia da Ubisoft em colocar uma impressora 3D que nos serve de ‘forno’ para uma variedade enorme de equipamentos. Estamos falando de coisas como armas tradicionais e drones e carrinhos de controle remoto.

Com essa gama de acessórios, nosso arsenal é consideravelmente ampliado para realizarmos as missões, já que a câmera no drone ou no carrinho ajudam a hackear remotamente os obstáculos em nosso caminho.

Mas nem tudo são flores… Com mais poderes, vêm grandes dificuldades. A inteligência artificial do game é bem superior a do primeiro. Portanto, é bom fazer uma estratégia bem calculada antes de nocautear um inimigo, por exemplo.

Falando mais de Marcus Holloway, é possível customizar não somente a maneira como o personagem se veste, mas também o jeito como jogamos com ele. Através do sistema de habilidades, vamos nos especializando em três tipos de combate: fantasma, agressor e trapaceiro, cada uma delas refletindo um estilo de jogo diferente.

As missões de Watch_Dogs 2 também merecem destaque na nossa análise. Mesmo que a maioria delas sejam focadas no stealth, ainda há uma quantidade enorme de atividades secundárias, como corridas e desafios. Sempre há algo novo para se fazer em San Francisco.

O único porém fica por conta da parte online. Até o momento em que escrevemos esta análise, tudo foi muito instável, com quedas constantes, que atrapalharam demais a nossa experiência. Fica a expectativa por consertos para que possamos aproveitar ao máximo esta parte do game.

CONCLUSÃO:

Watch_Dogs 2 finalmente cumpre o que a Ubisoft prometeu lá no primeiro game, e entrega aos fãs uma experiência completa, em mundo aberto, com personagens carismáticos, uma cidade vibrante e imersiva e jogabilidade fluida e intuitiva.

PONTOS POSITIVOS: 

  • Jogabilidade mais fluida e agradável
  • Cenários muito bonitos
  • História mais envolvente

PONTO NEGATIVO: 

  • Parte online ainda muito instável

NOTA: 9,5/10

Gostaríamos de agradecer à Ubisoft, que nos cedeu uma cópia de Watch_Dogs 2 para PS4, plataforma usada nesta análise.

 



MaisRecentes

Análise Press Start – Marvel vs. Capcom: Infinite



Continue Lendo

Análise Press Start – Destiny 2



Continue Lendo

Análise Press Start – PES 2018



Continue Lendo