Análise Press Start – The Crew: Wild Run



Nesse mundo cada vez mais recheado de DLC’s, uma delas chega prometendo revolucionar o jogo original. Na Análise Press Start de hoje, vamos avaliar se Wild Run consegue esse objetivo em The Crew.

Ambiciosa: essa é a palavra que define Wild Run

Quase um ano após o lançamento de The Crew, sua primeira expansão chega com objetivos bastante audaciosos. Motos, Monster Trucks, novos carros, vários ajustes na física, clima dinâmico, e uma grande competição online puxam a fila.

A DLC é apenas uma parte do compromisso assumido pela Ubisoft e pela Ivory Tower quando The Crew chegou no mercado. Os produtores prometeram um suporte de conteúdo por um longo período, e não falha nesse quesito.

Novidades na história e na parte online

Os 5000 mil quilômetros quadrados do mapa de The Crew voltam a ser explorados com o novo capítulo introduzido à história do game com Wild Run.

A gangue 510s, baseada nas corridas ilegais nos arredores de Detroit é seu alvo. Enquanto você vai ganhando reputação e melhorando seu carro, planos e atividades da 510s são frustrados, cidade a cidade, por todo o território dos Estados Unidos.

Além disso, o mundo online de The Crew cresce ainda mais com Wild Run. Os mais de 3,5 milhões de jogadores poderão demonstrar suas habilidades na competição The Summit.

Nessa gigantesca reunião de pilotos e mecânicos, os mais icônicos lugares dos Estados Unidos viram palco para uma celebração da cultura de corrida, com competições multidimensionais com uma larga variedade de veículos.

A exploração do mapa ficou ainda mais recompensadora

Você é daqueles que gostou de sentar atrás do volante do carro e simplesmente dirigir pelo belo mapa de The Crew? Então Wild Run vai te deixar muito feliz.

A expansão introduz uma série de desafios que podem ser encontrados na próxima curva, ou até mesmo criados por você, para testar sua habilidade e de seus amigos também.

Com as melhorias gráficas, pilotar pelas cinco regiões do mapa ficou ainda melhor. Seja desfilando pela ensolarada Miami, ou nos áridos desertos, a experiência será linda.

Motos, Drift, Drag e Monster Truck

Essas são as novas ‘Specs’ dos veículos que chegam a The Crew com Wild Run. A variedade de eventos já era extensa, com essas adições, não vai faltar diversão.

O Drag já é familiar para quem jogou Need for Speed. São corridas que testam o motor do seu carro, e sua habilidade na hora de passar a marcha.

Drift também não é nenhum bicho de sete cabeças. Entre voando nas curvas e derrape o máximo, sem perder o controle do carro, para conseguir a maior pontuação possível.

As motocicletas são uma novidade pra lá de bem-vindas. Trazendo uma pegada mais leve, elas apresentam uma nova categoria de velocidade aliada a controles bem mais responsivos.

E talvez a melhor novidade seja a adição dos Monster Trucks. Eles são um clássico da cultura norte-americana, e chegam passando por cima de tudo e de todos com seus pneus enormes.

CONCLUSÃO:

Wild Run é uma expansão sensacional para quem se apaixonou por The Crew. Melhorando drasticamente gráficos e física, introduzindo novos tipos de veículos e conteúdo não só para o modo história, mas também para a parte online, a DLC é garantia de muita diversão.

PONTOS POSITIVOS:

  • Melhorias gráficas e na jogabilidade
  • MUITO conteúdo novo
  • The Summit

PONTO NEGATIVO:

  • Carros ainda parecem flutuar

NOTA: 8,5/10

*Gostaríamos de agradecer à Ubisoft, que nos cedeu uma cópia de The Crew: Wild Run para PS4, plataforma usada nesta análise.

 

 

 



MaisRecentes

Análise Press Start – NBA 2K18



Continue Lendo

Análise Press Start – Call of Duty: Infinite Warfare (Retribution)



Continue Lendo

Análise Press Start – Marvel vs. Capcom: Infinite



Continue Lendo