Análise Press Start – The Technomancer



Ao infinito e além! Na Análise Press Start de hoje, vamos colocar nossos trajes espaciais para conferir um dos games mais badalados deste mês. Confira o que achamos de The Technomancer.

A melhor produção da Spiders Studios!

The Technomancer é mais uma ambiciosa aposta do estúdio francês Spiders, famoso por seus games de ficção científica. Situado no mesmo universo de Mars: War Logs, o jogo apresenta muito potencial para superar o seu antecessor.

A história do game te coloca na pele de Zachariah Mancer, um Technomancer novato. Mas o que são estes Technomancers? Tratam-se de indivíduos com a capacidade de controlar o ‘Surge’, poder elétrico que é canalizado através de implantes.

No universo do jogo, a população humana vive em marte, e a luta por água é muito intensa. O planeta é dividido em diversas cidades e organizações. As principais delas, Abundance e Aurora, são governadas por tiranos dispostos a tudo para controlar as riquezas e os poderes do lugar.

Mas qual o papel de Zachariah nisso tudo? O protagonista se vê forçado a entrar no mundo sombrio da Abundance, e a escolher um lado, embarcando em missões em todo o planeta. Essa trama, digna de uma série da Netflix, é o que nos prende em The Technomancer.

E como é a jogabilidade?

Basicamente, a jogabilidade de The Technomancer é uma mistura de ação com RPG. O personagem principal é controlado em terceira pessoa. Logo no início, somos apresentados aos três tipos de combate do game. Cada um deles com armas diferentes, velocidades variadas e estilos únicos (Guardian, Warrior e Rogue), que devem ser escolhidos para se adaptar aos muitos tipos de inimigos presentes em marte.

O sistema de evolução do personagem é simples. Conforme você mata inimigos e completa missões, sua barra de experiência vai enchendo. A cada novo nível, um ponto é liberado para ser usado em cada uma das especialidades de combate citadas acima

Além das skills de combate, ainda temos as habilidades, talentos e equipamentos para gerenciar. A primeira foca em bônus passivos e buffs para Zachariah. Já o segundo são divididos em três categorias, e influenciam em áreas como lockpicking e crafting.

Ao longo da história, Zachariah encontra vários NPC’s que podem ser usados como companhia do protagonista. Os personagens te auxiliam nos combates e em outras áreas do jogo.

O que não gostamos

Apesar de The Technomancer ser, no geral, um ótimo jogo, algumas pequenas falhas da produção acabam causando certa irritação em quem comprá-lo.

Começando com os controles, que em alguns muitos momentos foi bastante ‘maluco’. Houve ocasiões em que Zachariah simplesmente não ia para onde escolhemos, ou até continuava seus movimentos mesmo após largarmos o joystick parado.

Outra decepção foi a ‘atuação’ dos personagens. As expressões faciais são muito limitadas, e, em alguns momentos, parece que foi usada uma tecnologia da geração passadas dos consoles para fazer esta parte do game.

CONCLUSÃO: 

The Technomancer é uma excelente opção para quem já é fã do estilo ficção científica. Quem jogou Mass Effect vai se identificar. Com uma trama envolvente, que como dissemos acima, parece até uma série de TV, variação na jogabilidade e sistema robusto de level-up, o game conseguiu atingir o patamar imposto pelo hype.

PONTOS POSITIVOS:

  • História envolvente
  • Sistema de level-up robusto
  • Combate variado

PONTOS NEGATIVOS:

  • Expressões faciais ‘old-gen’
  • Controles bugados

NOTA: 8,5/10

 



MaisRecentes

Análise Press Start – Marvel vs. Capcom: Infinite



Continue Lendo

Análise Press Start – Destiny 2



Continue Lendo

Análise Press Start – PES 2018



Continue Lendo