Análise Press Start – Pro Evolution Soccer 2017



É aberta mais uma temporada de disputa entre duas das maiores torcidas do mundo: os fãs de PES e os de Fifa. Na Análise Press Start de hoje iremos avaliar qual nota a Konami merece com seu mais novo lançamento na franquia. Veja o que achamos de Pro Evolution Soccer 2017.

Cada vez melhor!

Não é segredo para ninguém que Pro Evolution Soccer é uma das franquias mais bem sucedidas da história, não só dos games, mas no geral. Se você curte futebol, é quase certo que em algum dia da sua vida já jogou uma partida de PES ou Winning Eleven, não é mesmo?

Mas temos que admitir que nos últimos anos, PES sofreu com jogos de baixa qualidade e acabou perdendo muitos de seus fãs para o rival Fifa, que a cada ano que passa, melhora ainda mais o seu desempenho.

Só que desta vez, a Konami acertou em cheio na produção de PES, e a versão 2017 é, sem qualquer sombra de dúvidas, a melhor que nós temos em muitos anos. Arrisco dizer que nenhum dos jogos lançados para a geração passada de consoles, nem mesmo os já temos para a atual, tem a qualidade de Pro Evolution Soccer 2017.

Os gráficos estão ainda melhores, a jogabilidade melhorou absurdamente, os goleiros não nos dão mais dor de cabeça… Enfim, PES finalmente conseguiu voltar a reunir conteúdo suficiente para bater de frente com Fifa, e gerar uma das batalhas mais acirradas do mercado dos games.

Vamos por partes: como está a jogabilidade?

Todo mundo acha os gráficos muito bonitos, os jogadores são assustadoramente parecidos com os da vida real, os estádios recriados de maneiro fiel, e etc. Mas no frigir dos ovos, o que mais interessa mesmo é a jogabilidade.

E como ela está em Pro Evolution Soccer 2017? Muito boa! Sem dúvidas é a melhor que nós temos em muitos anos. Não me lembro de ter me divertido tanto com PES desde os tempos do PS2.

Os jogadores se movimentam de maneira mais natural, os passes são mais precisos, os lançamentos mais mortais, as finalizações são variadas e gratificantes, e o melhor de tudo, os goleiros não são mais aqueles ‘mãos de alface’ de versões anteriores. Realmente dá pra ver o esforço da Konami em resolver esse problema, e eles merecem nossos aplausos.

Só que nem tudo são flores… Se nós elogiamos grande parte da jogabilidade de PES, temos que ressaltar algumas falhas que observamos. É muito legal dar passes e achar um companheiro que se movimentou de maneira perfeita, mas somos brasileiros e gostamos de ir pra cima do zagueiro. Só que os dribles em Pro Evolution Soccer 2017 são terríveis. Todos são feitos de maneira muito lenta, atrasando completamente as jogadas e aumentando as chances da defesa tomar a bola. Vamos focar nisso, Konami!

Jogabilidade quase perfeita… E os gráficos?

Sim, a jogabilidade merece nota 9. E se esse quesito não conseguiu nota máxima, os gráficos com certeza vão levar um 10. É incrível o poder da Fox Engine em Pro Evolution Soccer 2017.

Cada detalhe, dentro e fora de campo, deixa o joga absurdamente realista. Em determinados momentos, claramente se tem a sensação de estar assistindo ao um jogo na TV, sem exagero.

Uma das coisas que sempre fazemos no lançamento de um novo PES, é abrir o menu do replay e ir de jogador em jogador para ver como estão seus rostos. E mais uma vez somos brindados com uma recriação fantástica dos atletas. O nível de detalhamento das faces é coisa de outro mundo.

Jogabilidade ótima, gráficos indefectíveis… E os modos de jogo?

Pro Evolution Soccer é uma daquelas franquias que são caracterizadas por modos de jogo lendários. Sem dúvidas a Master Liga é o mais famoso deles, e ela continua sendo o sucesso de sempre neste ano.

Outro modo que merece a sua atenção é o MyClub. Nada mais é do que uma espécie de Master Liga online, onde você cria seu clube ‘do zero’ e deve subir divisões, jogando contra adversários pela internet ou contra a máquina, e juntando pontos para contratar jogadores melhores. Nós tiramos o Messi logo no primeiro dia… Mas sem inveja, ok?

Além disso, continuamos tendo os modos de criação de torneios e disputa de jogos amistosos, para reunir os amigos, fazer um churrasco e botar a habilidade à prova.

Mas todos esses modos são afligidos por um grande problema de PES: as licenças. Se nós aplaudimos a iniciativa da Konami em licenciar o nosso Campeonato Brasileiro, a empresa japonesa deixa a desejar em diversas outras ligas importantes do futebol mundial.

A Premier League, fundamentalmente, é praticamente toda formada por times genéricos. Isso, para quem gosta de realmente recriar a realidade é um baque e tanto.

Diversas novidades para o Brasil

Como dissemos acima, o Brasileirão está totalmente licenciado em Pro Evolution Soccer 2017. A marca é exclusiva do game, que conta com todos os 20 clubes da Série A, diversos estádios, bola oficial…

Mas temos que ressaltar um ponto negativo nesta história. Ainda há jogadores com nomes e aparências genéricas. Alguns, inclusive com peso no cenário mundial. O Flamengo, por exemplo, tem hoje duas figuras que se destacam no elenco: Diego e Guerrero. Enquanto o primeiro sequer está no time, o segundo atende pelo nome de M. Suarez.

Outra grande novidade para PES 2017 é a presença de um novo narrador. Após anos com o belo trabalho de Sílvio Luiz, agora o comando das transmissões fica com o carismático Milton Leite. Os comentários ainda são de Mauro Beting.

E essa adição por mais que tenha sido pensada com carinho, deixa muito a desejar na prática. A narração é muito robótica, e constantemente podemos ouvir o momento em que uma fala é ‘grudada’ na próxima. Gostamos muito da ideia, Konami, mas a execução é falha. Vale investir mais para o PES 2018.

CONCLUSÃO:

PES 2017 é o melhor PES é muitos anos. Nós não nos divertimos assim com um jogo da franquia desde os tempos de PlayStation 2. A jogabilidade melhorou bastante, apesar de ainda precisar de uns retoques. Os gráficos são impecáveis e com certeza recomendamos uma virada de noite com os amigos regada a muito Pro Evolution Soccer.

PONTOS POSITIVOS:

  • Jogabilidade está bem melhor
  • Gráficos ainda mais realistas
  • Voltou a ser muito divertido

PONTOS NEGATIVOS:

  • Dribles lentos
  • Falta de licenciamentos importantes
  • Narração de Milton Leite deixa a desejar

NOTA: 9/10

Gostaríamos de agradecer à Konami, que nos cedeu uma cópia de PES 2017 para PS4, plataforma usada nesta análise.



  • Bucaneiro.

    Novamente… FIFA…

  • Adriel Farias de Albuquerque

    Ansioso pra comprar, nem consigo mais jogar as versões anteriores, só pela vontade

MaisRecentes

Análise Press Start – Marvel vs. Capcom: Infinite



Continue Lendo

Análise Press Start – Destiny 2



Continue Lendo

Análise Press Start – PES 2018



Continue Lendo