Análise Press Start – Pro Evolution Soccer 2016



Esta análise é muito especial para o Press Start, pois exatamente um ano atrás, começávamos a dividir com vocês nossas opiniões e notícias sobre o mundo dos games. E o primeiro jogo que analisamos foi PES 2015. Hoje, iremos ver o que mudou no jogo mais popular da Konami em sua versão 2016.

Se no ano passado, a Konami entrou no mundo dos consoles da nova geração, apostando em uma reformulação em sua jogabilidade, em PES 2016 vemos que o trabalho desempenhado pela empresa japonesa vai cada vez mais chegando perto de seu ápice. Com um novo sistema de colisões e movimentos mais fluidos e responsivos, a briga pelo título de melhor jogo de futebol do mundo será acirrada nesta temporada.

O futebol moderno no videogame

PES 2016 representa muito bem o que é o futebol da atualidade. Com preparações físicas cada vez mais aprimoradas, e jogadores mais atléticos, o jogo se tornou bastante físico, exigindo outros atributos de quem o pratica.

O novo sistema de colisões presente em PES 2016 captura perfeitamente as batalhas que são travadas pela posse de bola, e corrige erros bizarros de versões anteriores, quando jogadores atravessavam outros, em determinados momentos. Mais do que nunca, será preciso pensar o jogo estrategicamente, e não chutar a bola pro alto e torcer para ganhar a dividida.

Se você está pensando que com isso tudo que foi dito, PES 2016 está focado nos times mais fortes fisicamente, está enganado. Claro que é uma parte importante da jogabilidade, mas ainda há muito espaço para o toque de bola e o drible. Só é possível se valer do novo sistema de colisões quando de ‘acha’ o adversário em campo. Messi e Neymar ainda são armas poderosíssimas para abrir uma defesa.

Mais fluidez, mais dribles

Como abordamos acima, PES 2016 não é um jogo determinado apenas pela força física. A fluidez presente ampliou as possibilidades de fintas e jogadas de efeito.

A cada ano que passa, a Konami consegue recriar com mais sucesso movimentos característicos de vários craques ao redor do planeta. Aliado ao novo sistema de movimentação, isso torna os dribles ainda mais reais. É espantoso pegar a bola com Neymar e partir pra cima do zagueiro. E isso se estende aos passes e chutes também.

Fechando o pacote da jogabilidade, temos que mencionar as inúmeras adições de animações na movimentação. Sempre criticado por seu estilo mais ‘robótico’, PES 2016 é um game muito mais ‘humano’, com jogadores demonstrando ações mais realistas do que jamais vimos na série.

Master League maior e melhor

Antes da revolução da internet, e dos modos online, fãs de futebol passavam horas e horas jogando a Master League. PES 2016 traz novidades que fazem você se sentir de verdade como um ‘manager’. Suas decisões afetam diretamente no seu clube.

Contratações de peso têm sua devida importância. Assinar com uma estrela do futebol é representada com todas as pompas que teriam na vida real, com coletiva de imprensa e sessão de fotos com a camisa do novo clube.

O mercado, aliás, recebeu um belo de um upgrade. Mais ofertas são feitas por seus atletas, assim como seus ‘olheiros’ agem mais rápido na indicação de possíveis novos reforços.

Gráficos de ponta, como de costume

Já é padrão da franquia ter um visual bonito. Se há um aspecto na disputa com FIFA que sempre é vencido por PES é o gráfico. E não é diferente desta vez. A apresentação das partidas é fantástica, e lembra muito um jogo de verdade.

É de se louvar o trabalho feito na recriação dos jogadores. Nos atrevemos a dizer que Neymar é atleta mais bem-feito até hoje na história dos videogames. A semelhança é simplesmente absurda.

Além dos jogadores, o ambiente também merece elogios. Gramados e estádios são cópias fiéis e aumentam ainda mais a sensação de estar assistindo a uma transmissão de TV.

Atenção ao mercado brasileiro

Ponto bastante discutido desde o ano passado, a presença de clubes brasileiros, alguns com exclusividade, merece destaque. Enquanto o rival FIFA terá apenas 16 dos clubes da Série A do Brasileirão, PES 2016 contará com todos os 20, mais quatro da Segunda Divisão.

Além disso, a Konami mandou bem demais ao incluir vários estádios brasileiros, como Arena Corinthians e Maracanã. O Timão e o Flamengo são exclusivos de PES, deixando boa parte da torcida nacional com um bom motivo para comprar o game.

Nem tudo são flores

Apesar da grande evolução, PES 2016 ainda apresenta alguns problemas. Se os jogadores de linha receberam novidades de peso, os goleiros ainda deixam a desejar. Movimentação irreal e lenta contribuem para falhas bizarras.

Outro ponto a ser levado em consideração é a trilha sonora. Ponto alto tanto de Pro Evolution Soccer quanto de FIFA, as músicas não empolgam no game da Konami. É normal se pegar cantando as canções destes games, mas não parece ser o caso de PES 2016.

CONCLUSÃO:

Pro Evolution Soccer 2016 é o que de melhor a Konami já lançou da franquia. Jogabilidade mais realista, movimentações mais fluidas, passes e finalizações com mais propósito e o belo gráfico de sempre fazem do game uma compra certa para os fanáticos por futebol.

PONTOS POSITIVOS:
– 
Jogabilidade realista
– Novo sistema de colisões
– Gráficos ainda melhores

PONTOS NEGATIVOS:
– Goleiros ainda falham muito
– Trilha sonora fraca

NOTA: 9/10

*Gostaríamos de agradecer à Konami, que nos cedeu uma cópia de Pro Evolution Soccer 2016 para PS4, plataforma usada nesta análise.



MaisRecentes

Beckham é o mais novo embaixador de PES 2018



Continue Lendo

Confira as novidades do modo MyTEAM de NBA 2K18



Continue Lendo

Conheça a área Wildspire de Monster Hunter: World



Continue Lendo