Análise Press Start – PES 2019



Se tem entretenimento melhor do que futebol e videogame, eu, particularmente, desconheço. E, ciente das dificuldades de trazer um bom game do esporte mais popular do mundo a cada ano, o Press Start traz a análise do Pro Evolution Soccer 2019, lançado no último dia 28 para PlayStation 4, Xbox One e PC.

O popular PES já passou por diversas fases. Direto do Oriente, já reinou no cenário nas gerações passadas, mas já há algum tempo luta para estar à altura do concorrente Fifa e lucrar como tal. É difícil desvincular um do outro quando se vai tecer sobre qualidades e defeitos do que temos em mãos. O fato é que PES 2019, mesmo com diversos problemas de licenciamento, alcança a façanha de evoluir e divertir, sem perder a sua essência.

Milton Leite (narração) e Mauro Beting (comentários) seguem contando um jogo que, desta vez, parece estar mais cadenciado em seu meio-campo, enquanto, ao menos sob a minha ótica, flui melhor em jogadas pelos flancos e premia quem domina a arte do toque rápido, imprimindo mais dinâmica. Um ponto a ser destacado positivamente é a melhoria significativa quanto aos goleiros, que deixam o gamer muito mais seguro durante as pelejas.

No quesito gráfico, já é sabido que a Konami cuida dos jogadores licenciados como poucos no mercado. Além disso, a partida se desenvolve incontestável a 60 quadros por segundo. Cabe destacar também que, pela primeira vez na franquia, PES chega com gráficos em 4K no PlayStation 4 Pro e Xbox One X e, por isso, teve de abandonar o suporte aos PS3 e Xbox 360.

As físicas de contato entre os jogadores estão mais realistas, inclusive em relação aos efeitos do gramado, assim como a inteligência artificial das peças, que compõem espaços na marcação fidedignas à realidade. E mais: o ângulo das câmeras nas batidas de faltas remete à visão do próprio cobrador virtual. Outra bola dentro!

BOLAS FORAS

Contudo, o jogo está longe de ser perfeito. Embora venha numa ascendente admirável, PES sofreu com um baque antes mesmo de “a bola rolar”. Perdeu a licença da Liga dos Campeões para o rival da EA Sports neste ano, o que era considerado um trunfo para a produtora japonesa. Novamente sem a Libertadores (desde a última edição), PES 2019 aposta muito nos clubes brasileiros e em reproduções hiper-realistas de estádios nacionais – São Januário, Arena Corinthians, Morumbi, Vila Belmiro, Allianz Parque, Beira-Rio, Maracanã e Mineirão são os presentes.

O lamentável é que, enquanto Corinthians, Flamengo, Palmeiras, São Paulo e Vasco são exclusivos e licenciados, com aparências de estrelas de tirar o chapéu, outros times por aqui possuem nomes genéricos em sua maioria. Até a Seleção Brasileira foi atingida pela dificuldade em negociar direitos de imagem por aqui. A equipe de Tite possui os uniformes reais, porém os nomes dos atletas são todos inexistentes.

E não é uma limitação que se restringe ao Brasil. O Real Madrid, por exemplo, atende por MD White, e Manchester United e Manchester City são Manchester Red e Manchester Blue, respectivamente. Sabemos que dá para utilizar um Option File para resolver este problema, mas a análise é cima do produto “original”, diga-se.

Em tempo, é bom sublinhar que os tradicionais modos “MyClub”, “Master League” e “Rumo ao Estrelato” seguem divertidos e ainda mais cativantes com os aperfeiçoamentos – sobretudo o primeiro, cujo esquema de contratações está menos burocrático e com cartas para os jogadores, algo símile ao Ultimate Team de Fifa. Ou seja, temos online e offline de qualidade e com garantia de boas horas “perdidas”.

CONCLUSÃO

Como citado, PES vem de uma ascensão notável e, com a estratégia de lançamento um mês antes de seu concorrente, mostra que há pontos positivos de sobra a serem enaltecidos, que só ficam ocultos aos tóxicos fanboys de franquias. Divertido, desafiador e com jogabilidade cada vez mais realista, PES 2019 agrega e aquece a concorrência. Quem ganha mais? Nós, gamers, que veremos um sarrafo ainda maior em prol de evolução para os anos posteriores.

PONTOS POSITIVOS

– Ótimos gráficos (inclusive com suporte em 4K)
– Modos online e offline divertidos
– Estádios brasileiros hiper-realistas
– Goleiros mais confiáveis

PONTOS NEGATIVOS

– Limitações quanto a licenças (campeonatos, clubes e jogadores)

NOTA: 9,0/10

Gostaríamos de agradecer à Konami, que nos cedeu uma cópia de PES 2019 para PS4, plataforma usada nesta análise.



MaisRecentes

Que tiro foi esse?! Neymar participa de vídeo promocional de Call of Duty: Black Ops 4



Continue Lendo

Gwent: trailer apresenta jogabilidade da versão de lançamento



Continue Lendo

Riot abre a votação para o All Star 2018



Continue Lendo