Análise Press Start – Outlast 2



A Análise Press Start de hoje foi feita com muito medo no coração, uma bíblia ao alcance das mãos e muitos e muitos gritos de horror. Confira o que achamos de Outlast 2.

Tensão, desespero, medo, dificuldade…

Assim como o primeiro game da franquia, Outlast 2 é um game que busca mexer continuamente com sua cabeça. E foi justamente essa atmosfera de terror e insegurança que consagrou os jogos da Red Barrels.

A nossa expectativa para esse segundo título era imensa. Apesar de sermos fãs de jogos como Resident Evil e Silent Hill, nunca havíamos nos deparado com um game que conseguisse realmente passar a sensação de estar preso num filme de terror.

O protagonista de Outlast 2 é Blake Langermann, um repórter cinematográfico e jornalista investigativo que está trabalhando numa matéria sobre o estranho desaparecimento de uma mulher grávida. As coisas já começam errado quando o helicóptero que o levava cai no meio do Arizona, o deixa separado de sua esposa, Lynn. A partir daí, um série de situações horríveis e assustadoras começam a acontecer. E nós temos que passar por cada uma delas.

O que era apenas mais um dia de trabalho se transformou numa busca por Lynn e por uma saída. E se você ainda não jogou o primeiro Outlast, fique sabendo que a franquia é responsável por levar o gênero do terror a um novo patamar. Aqui ninguém é um supersoldado que combate monstros e zumbis com extrema facilidade. Após a queda do helicóptero, Blake precisa lutar a cada segundo por sua sobrevivência, sozinho e machucado, sem qualquer possibilidade de lutar com os inimigos. Suas únicas opções são correr, se esconder ou morrer.

Para te ajudar nessa tarefa absurdamente assustadora, você conta apenas com sua câmera de vídeo. E se o primeiro game já era difícil, a galerinha da Red Barrels fez o favor de complicar ainda mais. Alguns inimigos agora podem te matar com um simples golpe. E seu personagem agora precisa lidar com uma barra de stamina, exigindo ainda mais estratégia na hora de encarar algum dos perigos de Outlast 2.

Outlast 2, assim como seu antecessor, mostra que os produtores da Red Barrels não têm o menor pudor na hora de criar. Ambos os jogos possuem conteúdo bastante perturbador, e não fazem a menor questão de deixar algo para nossa imaginação. Tá tudo escancarado. Do jeitinho que os fãs de terror gostam.

Uma das características que mais me chamam a atenção em Outlast 2 é como os inimigos são variados e com características distintas, sempre te deixando confuso ao se aproximar de um novo npc. É um clima de tensão ininterrupto, onde você nunca sabe se vão te atacar, ou apenas ficar te encarando enquanto sua bexiga luta para se manter firme. E por falar nisso, a sensação de que estamos sendo observados é constante. E como a maioria do jogo se passa em áreas totalmente escuras, imagine a situação….

Ainda falando da parte gráfica, Outlast 2 ganhou um belo upgrade em relação ao primeiro jogo. Desde as texturas de Blake e dos inimigos até os cenários que os cercam, tudo é muito bem detalhado e polido. Como o game usa bastante a situação de claro/escuro, os produtores precisaram fazer um trabalho de mestre na questão da iluminação.

Um outro fator que contribui bastante para o medo que sentimos ao jogar Outlast 2 é sua parte sonora. A trilha sonora do game é sensacional. Cada trabalho de áudio funciona de maneira perfeita para realmente passar o desespero que Blake está sentido para quem estiver em seu controle.

CONCLUSÃO:

Outlast 2 é a continuação perfeita para o primeiro jogo. Tudo que já havia sido ótimo agora é excelente. A jogabilidade está ainda mais desafiadora, a ambientação pra lá de imersiva e você deve se preparar para muitos sustos, gritos e noites sonhando com os inimigos.

PONTOS POSITIVOS:

  • Perfeita sensação de se estar em um filme de terror
  • Partes visual e sonora incríveis
  • Bastante desafiador

PONTO NEGATIVO:

  • Relativamente curto

NOTA: 9/10

Gostaríamos de agradecer à Warner Brasil, que nos cedeu uma cópia de Outlast Trinity para PS4, plataforma usada nesta análise.



MaisRecentes

Campeonato Brasileiro de League of Legends ganha novo formato em 2018



Continue Lendo

Análise Press Start – Star Wars Battlefront II



Continue Lendo

Brasileiro vence campeonato internacional 1×1 de League of Legends



Continue Lendo