Análise Press Start – NieR: Automata



A Análise Press Start de hoje vai nos levar a um futuro bem distante, onde as máquinas ditam as leis. Confira o que achamos do aguardadíssimo NieR: Automata.

‘Tudo que vive é destinado a acabar’

Com esta frase nada animadora somos introduzidos ao universo de NieR: Automata. O mundo já não é mais comandado pelos seres humanos. Milhares de anos no futuro, as máquinas comandam o planeta, e os poucos sobreviventes fugiram para a Lua.

Lá, os humanos conseguiram desenvolver e construir uma espécie de exército de androides, e, nele, está depositada a última esperança de retomar o controle do planeta.

A personagem principal de NieR: Automata é 2B, uma elegante e mortal androide de cabelos curtos e prateados. Mas ela não é a única responsável pela redenção da raça humana. Ao longo da história, somos ajudados pelos carismáticos 9S e A2.

A história, aliás, é bastante imersiva em seu estilo dramático e melancólico. O caminho a ser seguido pelo jogador não é fixo, o que encoraja uma possível segunda e até mesmo mais passadas pelo game. Completar NieR: Automata apenas uma vez vai deixar uma terrível sensação de incompletude.

São vários tipos de ‘finais falsos’ que podem ser obtidos no game. Um deles, aliás, é uma grande piada, e pode ser alcançado ao simplesmente morrer no primeiro chefão. Definitivamente apenas uma jogatina não vai te contar tudo o que você precisa saber, e, quanto mais você joga, mais interessantes as coisas ficam.

Frenético e nunca enjoativo

NieR: Automata é um jogo com um gameplay absolutamente único no mercado atualmente. Se você viu trailers antes de decidir realmente comprá-lo, o início vai te deixar bastante confuso.

Isso porque somos colocados no controle de uma nave espacial e temos que destruir aeronaves inimigas que atiram projéteis que tomam contam de toda a tela, no melhor estilo Galaga.

Quando finalmente ganhamos controle de 2B, o jogo se transforma completamente em um hack ‘n slash dos mais bem produzidos no momento. O ritmo dos combates é altíssimo, e é preciso aliar habilidades com espadas ao controle e mira de uma metralhadora operada por um robôzinho que flutua em nosso auxílio.

Suas reações e seus reflexos são testados constantemente. Os inimigos possuem as mesmas características de ataque de 2B, podendo causar dano de combate mais próximo, ou com projéteis. O botão de esquiva é seu melhor amigo, com certeza.

NieR: Automata ainda possui uma característica que ganhou expressão em jogos como Dark Souls, Bloodborne e Nioh. Ao morrer, os Mod-Chips, peças usadas para equipar armas melhores e obter habilidades e itens, são dropadas, e é necessário voltar ao seu local de morte para recuperá-los. Isso, é claro, com o risco de uma nova morte, e a perda total dos Mod-Chips.

Um planeta ao seu dispor

NieR: Automata possui um mundo aberto, e todos os cenários são completamente exploráveis. Além de servirem de cenário para as missões principais, quests secundárias e áreas secretas podem ser encontradas pelo mapa.

Apesar de ser bem desenhado e aproveitado, o mapa de NieR: Automata não é exatamente imenso. Mas algumas missões reaproveitam áreas anteriores com novos objetivos e inimigos.

As missões secundárias, aliás, são mais um dos motivos que te encorajam a se aventurar pelo New Game +. Algumas delas requerem que a campanha seja finalizada (mais de uma vez, inclusive!) para serem disponibilizadas.

Voltando a tratar dos cenários em si, a qualidade de design é sensacional, e o game apresenta uma variedade satisfatória de ambientações. Talvez a crítica que o game mereça nesse ponto é a instabilidade na taxa de quadros.

CONCLUSÃO

NieR: Automata é a fusão ideal de hack ‘n slash e RPG. Seu ritmo alucinante, aliado a um mundo aberto a ser explorado, e alto incentivo a novas investidas pela campanha criam um investimento seguro e com excelente retorno para o jogador.

PONTOS POSITIVOS:

  • Combate desafiador
  • História interessante
  • Ambientes variados

PONTO NEGATIVO:

  • Queda de taxa de frames

NOTA: 9/10

Gostaríamos de agradecer à Square Enix, que nos cedeu uma cópia de NieR: Automata para PS4, plataforma usada nesta análise.



MaisRecentes

Embalado por título, INTZ começa sua trajetória no primeiro split do CBLoL 2018 neste sábado



Continue Lendo

Campeonato Brasileiro de League of Legends estreia Temporada 2018 com novo formato e novo estúdio



Continue Lendo

Análise Press Start – Dead Rising 4: Frank’s Big Package



Continue Lendo