Análise Press Start – Micro Machines World Series



A Análise Press Start de hoje é uma espécie de viagem no tempo. Vamos voltar a 1991 e voltar a 2017 avaliando o novíssimo Micro Machines World Series, da Codemasters.

Diversão para a família!

O nome da Codemasters é praticamente sinônimo da franquia Micro Machines a mais tempo do que a maioria de quem está lendo esta análise tem de vida. Desde 1991 a empresa tem produzido alguns dos jogos de corrida multiplayer mais divertidos do mercado, e acabou, inclusive sendo responsável pela criação de um gênero próprio, que até hoje serve de base para diversos outros títulos.

O que sempre destacou a franquia do restante é o fato de podermos usar carrinhos de brinquedo em cenários reais, por onde provavelmente você já passou alguma vez na vida e com certeza vai se identificar.

Micro Machines World Series pode ser definido como um pacote de conteúdo variado. Existem as tradicionais corridas com armas, um modo batalha, um outro que ainda inclui o elemento da dominação de territórios, tal qual um FPS, e um dos meus favoritos, que coloca os jogadores para correr até que apenas um sobre na pista.

Todos esses modos são baseados na mesma mecânica, mas que conseguem ser distintos para manter as coisas sempre novas. E uma das coisas que o tempo trouxe de bom para a franquia é o controle mais moderno, que permite uma precisão maior dos carros.

Essa precisão maior funciona como uma faca de dois gumes, já que assim como possibilita um controle maior, também exige mais deste mesmo controle para que os movimentos não sejam prolongados ou curtos demais, como, por exemplo, na hora de fazer uma curva mais fechada.

Os diversos tipos de modos de jogo estão disponíveis também online, e a diversão é garantida. Seja jogando com seus amigos no mesmo console ou pela internet contra pessoas que você nunca viu, a certeza é de que risadas e xingamentos serão constantes quando alguém é jogado pra fora da pista.

Os gráficos de Micro Machines World Series são muito bonitos, desde os carros até os cenários e pistas. As texturas estão ótimas, apesar de uns pequenos problemas de carregamento (algo que esperamos que seja simples de corrigir com uma pequena atualização). Os efeitos de transição são incríveis e a sensação de alta velocidade realmente existe.

Já a parte sonora do jogo tem seus altos e baixo. Enquanto as armas dos carros são muito legais de se ouvir, os próprios veículos passam despercebidos, assim como a trilha sonora, que não possui nenhuma música daquelas que você se pega cantando ao longo do dia.

CONCLUSÃO

Micro Machines World Series é um jogo que promete ser perfeito para quem cresceu com a franquia, ou simplesmente procura algo divertido para toda a família. O game tem diversos e divertidos modos de jogo, e, se peca na parte sonora, faz bonito na parte visual.

PONTOS POSITIVOS: 

  • Muitos e divertidos modos de jogo
  • Diversão para toda a família
  • Nostalgia pura

PONTOS NEGATIVOS:

  • Parte sonora é fraca
  • Controles podem ser frustrantes no início

NOTA: 8/10

Gostaríamos de agradecer à Deep Silver, que nos cedeu uma cópia de Micro Machines World Series para PS4, plataforma usada nesta análise.



MaisRecentes

Análise Press Start – Star Wars Battlefront II



Continue Lendo

Brasileiro vence campeonato internacional 1×1 de League of Legends



Continue Lendo

Em noite de gala, Team One se destaca e Felipe ‘brTT’ é eleito o craque da galera no prêmio CBLoL



Continue Lendo