Análise Press Start – Madden NFL 17



Estamos quase em setembro, e já começou aquela parte do ano em que os novos games de esporte são lançados. O primeiro dessa fornada é o protagonista da Análise Press Start de hoje. Confira o que achamos de Madden NFL 17.

Parece vinho: vai ficando melhor a cada ano…

Quando se trata de Madden NFL, não podemos fazer outra coisa a não ser elogiar. O trabalho desenvolvido pela EA SPORTS nessa franquia é simplesmente sensacional. No terceiro capítulo na atual geração de consoles, o nível só melhora, e a versão 2017 do game é a melhor de todos os tempos.

É normal se pegar ouvindo ‘ah, futebol americano é muito complicado, como que eu vou gostar do jogo?’. Sim, admitimos que o esporte é um tanto complexo, mas Madden NFL 17 é o exemplo perfeito da mistura entre um game feito pensando nos fãs mais antigos e naqueles que ainda não são tão familiarizados com a bola oval.

Além dessa pegada mais amigável a novatos, Madden NFL 17 aprendeu com o que de melhor nós vimos nos últimos anos, e apresenta a versão definitiva de um simulador de futebol americano. Isso se aplica em todas as áreas, seja nos gráficos ou na jogabilidade.

E para finalizar o pacote, os modos de jogo mais amados pelos fãs, Ultimate Team e Franchise, mais uma vez estão presentes, com seus polimentos, retoques e algumas novidades.

Quando a bola sobe, como está o jogo?

A EA é famosa por sua preocupação com a jogabilidade. Isso se vê em todos os seus lançamentos, seja no Fifa, no UFC e até mesmo em games que não sejam de esporte. Mas o que nós temos em Madden NFL 17 é uma obra de arte.

Aprendendo com seus erros e acertos das versões 15 e 16, a EA conseguiu montar um sistema de jogo que beira demais à realidade. Usando as técnicas de defesa e passe de títulos passados, Madden NFL 17 aprimora seu ‘ground’ game’ e abre mais uma opção de levar a bola até a End Zone.

O que mais nos chamou a atenção é como o jogo é realista. A movimentação, tanto da defesa quanto do ataque é deslumbrante. O jogo se tornou algo mais dinâmico, com jogadas que você não espera, e precisa se adaptar rapidamente para dar o próximo passo. É incrível como não tivemos a sensação de estar simplesmente jogando videogame. Quem assiste com certeza pensa se tratar de uma transmissão da ESPN.

Um dos pontos que mais contribuem para isso é o novo sistema de impacto corporal. Cada colisão entre jogadores parece mais real que a anterior, e isso é algo difícil de se alcançar em um esporte que possui tantas linhas de movimentação distintas, dezenas de jogadas ensaiadas e etc.

Ultimate Team e Franchise

Temos que abrir um tópico só para falar dessas duas belezinhas. Afinal, elas são responsáveis por pelo menos uns 90% do tempo gasto pelos gamers em Madden NFL 17.

Vamos começar pelo modo com mais novidades. O Franchise deste ano realmente vai te deixar viciado. A primeira grande novidade é o fato de você ‘botar a cara à tapa’ apenas nos momentos mais importantes. Isso que dizer que você não precisa passar quase uma hora disputando uma partida completa. É possível ‘entrar em campo’ apenas para uma bola decisiva no ataque, ou na armação da defesa nos últimos segundos do relógio. Cabe a você decidir se prefere agir ou simular essas situações.

Além disso, o Franchise está muito mais dinâmico, com transferências mais constantes. Os jogadores evoluem de maneira mais veloz e efetiva, mas ser perder o toque de realidade.

Chegando ao Ultimate Team, modo tão consagrado no irmão Fifa, fica em segundo plano em Madden NFL 17. Mas isso não é demérito, já que querer ganhar do Franchise é como querer derrotar o Usain Bolt nos 100m.

Para quem curte o estilo, o Ultimate Team ainda é uma excelente pedida. Toda a emoção de começar com um time fraco, ir batalhando para conquistar moedas e cartas, enquanto duela com adversário do mundo todo… Como não viciar nesse modo de jogo?

Frostbite pra quê?

Se a EA fez um estardalhaço ao anunciar que o Frostbite, motor gráfico responsável por Battlefield, era a grande novidade de Fifa 17, ela nem precisou mudar a engine para Madden NFL 17.

Isso porque os gráficos do simulador de futebol americano são tão bons, que realmente não parece precisar de qualquer melhoria. Tanto o visual dos jogadores quanto suas animações são fantásticas. Isso se estende aos estádios, uniformes e tudo que você vê na sua tela.

Além disso, o visual não merece elogios apenas dentro dos estádios. Afinal, para chegar na ação em campo temos que passar por alguns menus, e eles estão ainda mais modernos e acessíveis. Apesar do game ser todo em inglês, a organização é tão bem feita que fica fácil fazer as escolhas desejadas.

A falta de português também ‘atinge’ a narração, que apesar de ser brilhantemente conduzida pelos colegas americanos, poderia muito bem ganhar toda a qualidade e o carisma do nosso Rômulo Mendonça, que tanto sucesso fez nas transmissões da Rio-2016. Mas isso é algo a se pensar para as próximas versões. Fica a dica, EA!

CONCLUSÃO:

Madden NFL 17 consegue aliar uma jogabilidade que agrada aos fãs mais antigos da franquia, e ao mesmo tempo, traz uma acessibilidade aos que buscam conhecer mais sobre futebol americano. Os gráficos, como sempre, são de primeira linha. Com modos de jogo viciantes, o game se torna uma das compras certas neste fim de ano.

PONTOS POSITIVOS:

  • Jogabilidade ainda melhor
  • Gráficos impecáveis
  • Ultimate Team e Franchise viciantes

PONTO NEGATIVO:

  • Não está em português

NOTA: 9,5/10

Gostaríamos de agradecer à EA, que nos cedeu uma cópia de Madden NFL 17 para PS4, plataforma usa nesta análise.

 



MaisRecentes

Análise Press Start – Call of Duty: Infinite Warfare (Continuum)



Continue Lendo

O caos! Primeiro trailer de gameplay de Micro Machines World Series é revelado



Continue Lendo

Análise Press Start – Ride 2



Continue Lendo