Análise Press Start – Madden NFL 16



Inaugurando as resenhas do mês de setembro, o Press Start analisa um dos games de maior sucesso na categoria de esportes. A modalidade que vem ganhando cada vez mais fãs no Brasil é muito bem representada por NFL Madden 16, da EA Sports.

O fim de agosto dá início a uma temporada bastante aguardada pelos gamers que também são viciados em esportes. E uma das modalidades que mais crescem aqui no Brasil é o futebol americano. Todo o show envolvido nos jogos, e principalmente nas decisões da NFL vem atraindo cada vez mais seguidores, e, consequentemente, aumentando o número de pessoas jogando Madden.

Madden sempre foi um jogo de excelência. Mas a versão 2016 traz um novo modo, além de melhorias sensíveis na jogabilidade, que fazem dela a melhor edição em anos. Pequenos ajustes e algumas adições ao aspecto visual dão uma sensação ainda maior de realidade. A apresentação das partidas é impecável, fazendo com que os desavisados pensem que realmente se trata de uma transmissão da TV.

Logo ao iniciar o jogo, uma mudança nos menus já mostra o que está por vir. Diferentemente do ano passado, as animações de transição entre as abas são mais fluidas e sem ‘soluços’. É algo que já vinha sendo pedido pelos fãs há muito tempo, mas que finalmente chegou, e é bem-vindo.

Muitas vezes, os jogos de esportes trazem novidades na jogabilidade que não se destacam tanto quanto foi imaginado pelos produtores. Isso não é o caso de Madden 16. Neste ano, a EA mudou completamente a maneira como os jogadores recebem a bola. Com a bola viajando, o receptor agora possui três opções: o RAC, quando ele foca em ganhar mais jardas após pegar o passe. Outra variação é usada para ganhar poucas jardas, apenas para garantir o first down. E por último, há o ‘catch’ agressivo, no qual o atleta terá que disputar a recepção da bola.

Tantas variações no ataque podem fazer você pensar que Madden 16 será focado neste setor do jogo. Mas isso cai por terra quando analisamos as novidades defensivas do simulador. A maior mudança é vista na hora de controlar os cornerbacks. Há uma facilidade maior para direcionar os jogadores para uma interceptação ou para o tackle no atacante, o que aumenta o risco, mas também a recompensa da jogada.

Talvez a maior novidade de Madden NFL 16 seja o modo Draft Champion. Uma espécie de Ultimate Team com uma pitada de suspense e sorte. Tudo começa com um draft de 15 rodadas. A cada round, você escolhe um jogador novo, buscando montar um time que seja mais condizente com seu estilo de jogo. Aí que vem a parte boa: as opções de atletas incluem até mesmo lendas do esporte e as cartas mais raras do game. Com a equipe definida, chega a hora de testar a escalação em jogos contra a máquina, ou online. É claro que vencendo as partidas, diversas premiações são recebidas.

Essa adição permite aos gamers uma facilidade maior para começar o Ultimate Team, já que, logo de cara, você pode controlar jogadores mais talentosos, e assim encarar adversários de maior nível com mais equilíbrio, e escalar as divisões mais rapidamente. Sem dúvida o Draft Champion é um acerto gigantesco da EA.

Outra boa mudança foi feita no Franchise Mode. Novos desafios aparecem ao longo da temporada, que ajudam a aumentar a confiança dos seu time. Esse sistema de RPG parece estranho no início, mas logo traz mais variedade às partidas, já que surgem, muitas vezes, com a bola em jogo, como ganhar tantas jardas ou completar um número de passes.

Um modo que parece estar perdendo cada vez mais força dentro de Madden é o Be a Player. Ao contrário do Ultimate Team e do Franchise, o Be a Player não ganha novidades, e pior, perde suas funcionalidades mais atrativas. Não há mais draft, nem interações com seu agente. Definitivamente é um modo que merece uma atenção maior para a próxima versão do game.

Falamos no início da análise sobre a apresentação das partidas como um dos pontos fortes de Madden 16. Isso se dá muito por conta dos gráficos espetaculares do jogo. Os jogadores, estádios e torcedores são recriados de maneira altamente fiel, e realmente confunde arte com realidade. Além da parte visual, o som do game é envolvente, com o barulho ensurdecedor dos

CONCLUSÃO:

Madden NFL 16 é o que há de melhor quando se fala de futebol americano nos videogames. Visuais impecáveis, com uma apresentação realista, aliados a uma jogabilidade perfeita e modos de jogo com boas novidades, obrigam o fã da bola oval a garantir uma cópia!

PONTOS POSITIVOS:

– Novidades na jogabilidade
– Draft Champion
– Apresentação realista

PONTO NEGATIVO:

– Modo Be a Player mereceia mais atenção

Nota: 9/10

*Gostaríamos de agradecer à EA Sports, que nos cedeu uma cópia de Madden NFL 16 para PS4, plataforma usada nesta análise.



MaisRecentes

Análise Press Start – Marvel vs. Capcom: Infinite



Continue Lendo

Análise Press Start – Destiny 2



Continue Lendo

Análise Press Start – PES 2018



Continue Lendo