Análise Press Start – F1 2016



Vamos acelerar fundo na Análise Press Start de hoje. Vista seu macacão, coloque seu capacete e aperte o cinto para conferir o que achamos de F1 2016.

Velocidade máxima!

F1 2016 é um game que consegue captar de maneira sublime a sensação de velocidade ao guiar um carro. Nesse caso, somos levados a mais de 300 por hora pelos mais belos circuitos da modalidade.

Essa sensação é um dos fatores mais fortes do game. Ao contrário da maioria dos jogos de corrida, que vão acostumando aos poucos o jogador com o ritmo do gameplay, F1 2016 já te coloca no controle de um dos veículos mais rápidos da Terra.

Se por um lado isso é empolgante, tanta potência pode se tornar algo complicado de controlar no início, e desanimar os jogadores menos persistentes. É simplesmente impossível não estar totalmente concentrado para ter êxito nas pistas.

Um modo carreira sensacional

Criticado por sua falta de conteúdo na versão 2015, o modo carreira de F1 2016 só merece elogios. São 10 temporadas nas quais você controla um personagem totalmente customizável.

Com seu piloto criado, cabe a você decidir por qual das 11 equipes vai competir. Divididas em três categorias, cada uma das escuderias possui objetivos e bônus, fazendo com que você pense duas vezes antes de escolher.

Exatamente como na vida real, sua vida na Fórmula 1 não será apenas disputando as corridas. Será necessário participar dos treinos classificatórios e até mesmo fazer alterações em diversos aspectos de seu carro, como escolher os pneus, por exemplo.

F1 2016 não é para o gamer casual

F1 2016 é um game de corrida mais ‘profissional’, se é que podemos dizer assim. Não basta apenas apertar o acelerador e guiar os carros de maneira desenfreada em busca da vitória.

A jogabilidade é intensa, e até mesmo as dificuldades inferiores são desafiadoras. Além de se preocupar em fazer o melhor tempo a cada volta, o piloto deve estar de olho nos outros carros, para não causar acidentes e receber punições.

Talvez a situação mais desafiadora de todas seja correr com pista molhada. Basicamente, todas as vezes que nos deparamos com tal condição, a vitória vinha por simplesmente ficar dentro dos limites.

Gráficos e áudio, como estão?

F1 2016 tem gráficos ótimos, mas não estão no mesmo patamar de outros games de corrida, como Project Cars e Forza, por exemplo. Principalmente em alguns momentos do modo carreira, que acabam tirando um pouco da emoção.

Se o lado visual deixa a desejar, temos que elogiar, e muito, a parte sonora. A Codemasters capturou com perfeição cada som produzido em um circuito de Fórmula 1, realmente transmitindo a sensação de estar dentro do cockpit.

CONCLUSÃO:

F1 2016 é game mais focado para os fãs da modalidade. Apesar de apresentar diversos níveis de dificuldade, o estilo de corrida não é o mais comum, com muitas regras e punições, inibindo pilotos mais casuais. Os gráficos são muito bons, e o áudio espetacular. Vale a compra!

PONTOS POSITIVOS:

  • Modo carreira mais profundo
  • Experiência total da Fórmula 1
  • Parte sonora incrível

PONTOS NEGATIVOS:

  • Gráficos poderiam ser melhores
  • Gamers casuais podem não se entreter com tantas regras

NOTA: 9/10

Gostaríamos de agradecer à Deep Silver, que nos cedeu uma cópia de F1 2016 para PS4, plataforma usada nesta análise.

 



  • Pedro Ferreira

    Parece que agora acertaram a mão.

  • André Manzano

    Devolveram o modo carreira ao game! Tirarem ele no 2015 foi brincadeira de mau gosto!

MaisRecentes

Na contramão da fama, equipes disputam o Torneio de Acesso em busca de um lugar ao sol



Continue Lendo

Veja as primeiras imagens de gameplay de F1 2017



Continue Lendo

NBA 2K18 tem trilha sonora divulgada. Venha ver a lista completa!



Continue Lendo