Análise Press Start – Dreamfall Chapters



A Análise Press Start de hoje vai nos levar de volta à pele de Zoe Castillo e suas aventuras. Confira o que achamos de Dreamfall Chapters.

Um jogo contado como história

Dreamfall Chapters é dividido em cinco livros. Cada um deles possui vário capítulos. E a primeira boa notícia é que cada um deles leva em torno de oito a dez horas para ser completado. Ou seja, muita lenha pra queimar.

E como uma das excelentes obras de autores como Stephen King ou George R. R. Martin, a trama de cada um desses capítulos começa de uma maneira intrigante, e em momento algum deixa o nível cair. Cada nova peça do quebra-cabeça te leva mais fundo na história.

Apesar de Zoe ser a protagonista, você não segue apenas seus passos. Também somos colocados na pele de Kian, um guerreiro Azadi que está viajando o mundo de Arcadia. Além disso, conforme progredimos na história, somos apresentados a um terceiro personagem, que possui uma característica bem peculiar. Mas sem spoilers aqui.

No início do jogo, Zoe possui apenas dois objetivos: recuperar sua memória, que ela perdeu após entrar em coma, e continuar com suas lutas políticas, enquanto busca manter um equilíbrio na sua vida e na de outros cidadãos de Europolis. Já Kian está trancado numa prisão, onde um motim aconteceu e um personagem deseja um favor para libertá-lo. Tudo acontece de maneira muito rápida, e logo nos vemos no meio de uma guerra.

O que achamos mais interessante em Dreamfall é a possibilidade de mudarmos o curso da história do jogo em um novo patamar. São diversas as ocasiões em que somos forçados a tomar uma decisão difícil que alterará o mundo. Isso é disposto a cada vez que você deve fazer alguma escolha.

A jogabilidade é bastante simples, uma vez que você passa a maior parte de seu tempo andando pelo mapa e conversando com outras pessoas. Ainda há algumas outras funcionalidades como coletar objetos ou distrair guardas.

Talvez o ponto baixo de Dreamfall seja sua apresentação gráfica. Apesar de não ser feio, fica claro que o game não possui ambições de competir com os atuais rivais da geração de consoles. O lado positivo, porém, é o alto nível de detalhamento nos cenários, que aliás, são enormes.

CONCLUSÃO:

Dreamfall Chapters é um game focado num estilo mais cadenciado, que mais parece um filme ou livro do que um jogo. Sua narrativa é sempre interessante, e isso se faz presente nas mais de 40h de duração.

 

PONTOS POSITIVOS:

  • Trama interessante
  • Mundo altamente detalhado
  • Escolhas realmente importam

PONTOS NEGATIVOS: 

  • Alguns diálogos são repetitivos
  • Baixo nível de dificuldade

NOTA: 8/10

Gostaríamos de agradecer à Deep Silver, que nos cedeu uma cópia de Dreamfall Chapters para PS4, plataforma usada nesta análise.



MaisRecentes

Campeonato Brasileiro de League of Legends ganha novo formato em 2018



Continue Lendo

Análise Press Start – Star Wars Battlefront II



Continue Lendo

Brasileiro vence campeonato internacional 1×1 de League of Legends



Continue Lendo