Análise Press Start – Dragon Ball XenoVerse



Está pronto para se sentir nostálgico? Então venha com o Press Start e confira nossa análise do novíssimo Dragon Ball XenoVerse.

Quem nunca sonhou em ser um personagem do universo de Dragon Ball? Voar, saber fazer um kamehameha, encarar vilões terríveis e salvar a Terra de várias ameaças. Isso tudo se torna possível com o novo game da Bandai/Namco.

A história de Dragon Ball XenoVerse gira em torno de um herói desconhecido, enviado pelo lendário Shen Long para ajudar Trunks a consertar algumas alterações que estão mudando a cronologia da história. Esse guerreiro misterioso é criado e customizado a seu gosto. Você pode escolher a raça (Terráqueo, Sayajin, Raça Freeza, Namekuseijin e Majin), cada uma com suas próprias características físicas e poderes particulares. Isso pode levar o jogador a perder muito tempo para se decidir, já que afetará as habilidades que o char irá aprender, assim como os itens que poderá usar.

Após decidir a qual raça seu personagem irá pertencer, você deve customizar a sua aparência, decidindo entre várias opções apresentadas, o tipo de rosto, olhos, cabelo, porte físico e muito mais, incluindo as cores da roupa que será vestida ao longo da aventura (isso pode ser alterado durante a história também).

Depois de passar horas até ficar satisfeito com o personagem perfeito, você é levado para a cidade de Toki Toki, uma espécie de central onde encontramos desde npc’s com missões e conselhos, até vendedores de roupas e habilidades. Como todo game de RPG, é preciso enfrentar um tutorial para que se aprenda o básico para iniciar a aventura. Após passar pela ‘aula’, Trunks aparece com sua primeira missão, na qual você deve revisitar a batalha entre Raditz e Goku/Piccolo. Com as alterações na linha do tempo, o vilão escapa do golpe fatal do namekuseijin.

A partir daí, entre missões principais e secundárias, você revive todas as sagas de Dragon Ball Z, em alguns momentos enfrentando aliados, e ajudando inimigos, para corrigir os erros da linha do tempo. A cada missão, você recebe uma quantia que pode ser usada para customizar seu personagem, além de alguns itens e habilidades.

Mantendo o que vem sendo feito nos jogos modernos de animes, o sistema de combate é simples. Nada de meia-lua para trás com os dois socos. Combinando golpes fracos e fortes, com teletransporte e magias, as lutas são sempre dinâmicas e divertidas. Se às vezes você encara um inimigo sozinho com ajuda de aliados, prepare-se para se ver cercado de vilões em algumas situações.

A parte gráfica de Dragon Ball XenoVerse é bem satisfatória. Os cenários e personagens são muito bem desenhados, e com a tecnologia dos consoles da nova geração, cada detalhe é perfeito. Já analisando a questão sonora, vale destaque para o áudio em japonês, que é fiel ao desenho da TV. E a presença da mítica música tema ‘Chala Head Chala’ enche o gamer de nostalgia.

Outro aspecto interessante do game é o multiplayer. Dentro de Toki Toki, é possível encontrar centenas de outros gamers, cada um com uma aparência única, e chamar alguns para uma party e partir para missões e desafios.

Apesar de ser um jogo muito divertido, DBX não é perfeito e apresenta poucos problemas. As mecânicas de combate são um pouco imprecisas – em alguns momentos, os golpes saiam para direções opostas ao adversário, mesmo com o alvo nele travado, e a câmera também deixa a desejar em algumas batalhas. Traduções equivocadas para o português também pode decepcionar o público brasileiro.

CONCLUSÃO:

Dragon Ball XenoVerse traz o universo de Akira Toryiama para a nova geração de consoles com louvor. Apesar de um bug ou outro, o game é gráficamente belo e realiza o sonho de toda criança dos anos 90 de entrar na batalha com Goku em companhia e reviver momentos lendários da história de DBZ.

PONTOS POSITIVOS:

– Customização do personagem principal
– Presença de muitos personagens
– Gráficos impecáveis

PONTOS NEGATIVOS:

– Sistema de combate impreciso
– Câmera pode deixar o gamer tonto

NOTA: 8.5

*Gostaríamos de agradecer à Bandai/Namco, que nos cedeu uma cópia de Dragon Ball XenoVerse para PS4, plataforma usada nesta análise.



MaisRecentes

Netshoes estreia no e-Sports em parceira com equipe E-SportFlix de FIFA 17



Continue Lendo

Psicóloga medalha de ouro com a Seleção Brasileira Feminina levou Red Canids à final do CBLoL 2017



Continue Lendo

Fã de CS:GO, Neymar comemora com bandeira de escanteio simulando um rifle do jogo



Continue Lendo