Análise Press Start – Digimon Story Cyber Sleuth



Sabe aquela época em que você voltava correndo da escola para ver desenho? Bom, na Análise Press Start de hoje, temos a felicidade de avaliar uma bomba de nostalgia chamada Digimon Story Cyber Sleuth.

De volta ao DigiMundo!

Já se passaram anos desde que nós tivemos contato pela primeira vez com Digimon. E parece que nossa necessidade de um game top sobre os monstros digitais nunca foram realmente atendidas.

Quando penso no melhor jogo de Digimon que já experimentei, me vêm à cabeça as batalhas de Digimon Rumble Arena, mas mesmo ele não passou toda a sensação de realmente estar inserido no DigiMundo.

O que mais se aproximou dessa linha foi Digimon World, do PlayStation 1, quando podíamos criar um monstrinho desde seus primeiros passos e levá-lo até o nível Ultimate.

Mas parece que finalmente temos a experiência definitiva no DigiMundo. Com Digimon Story Cyber Sleuth, podemos, enfim, realizar nossos sonhos de ter nosso exército de monstros digitais.

Um enredo mais profundo

Ao contrário da trama mais simples que encontramos no desenho, principalmente na saudosa primeira temporada, DSCS apresenta uma história de mistérios, investigações e até mesmo um fantasma.

Ao começar o jogo, somos colocados na pele do protagonista, Takumi Aiba ou Ami Aiba, dependendo da escolha do gênero que você fizer.

Após algumas conversas em uma sala de chat online, e um encontro marcado dentro do mundo virtual chamado de EDEN, recebemos um aplicativo chamado Digimon Capture, que nos permite capturar e treinar os monstrinhos.

Para não darmos spoilers do que acontece para frente, podemos dizer apenas que Aiba é atacado por uma entidade que o deixa num estado meio real, meio digital, e devemos descobrir uma maneira de voltar ao normal.

Tem Digimon pra dar e vender

Em Digimon Story Cyber Sleuth, são mais de 200 criaturas para você treinar e usar em batalhas épicas por turno. E cada uma delas recebeu um carinho especial na animação.

Usando o aplicativo para escanear e capturar os Digimons, começa um longo processo de treinamento e digievolução, até você conseguir os mais poderosos dentro do game.

Podendo levar apenas três monstros por vez, os restantes ficam ‘guardados’ na DigiFazenda. Lá, podemos treiná-los e até fazer um Digimon absorver outro para ganha experiência.

É Digimon, mas com uma pitada de Pokémon e Final Fantasy

O sistema de combate de Digimon Story Cyber Sleuth é baseado em turnos, em batalhas até 3×3. Todos os monstros possuem ataques normais e habilidades especiais.

A tela de combate lembra um pouco a de Final Fantasy X, com a opções de ações no lado esquerdo, enquanto uma barra mostrando os turnos dos Digimons fica na direita.

E a comparação com Pokémon sempre foi e ainda é inevitável. As batalhas são decididas, em sua maioria, nos tipos elementais, como fogo, trovão, luz e escuridão.

Tudo isso junto forma um sistema de combate bastante ágil e interessante. Nem sempre o Digimon mais evoluído vai sair vencedor, e a estratégia é fundamental.

O que não gostamos

Apesar de termos coberto Digimon Story Cyber Sleuth de elogios até aqui, o game não é livre de falhas. E não podemos deixar de mencioná-las.

Enquanto os Digimons foram muito bem recriados, parece que a mesma atenção não foi dada aos cenários, que são um tanto quanto ‘sem vida’.

A forma como os diálogos são conduzidos também nos incomodou um pouco. Ao invés de cenas animadas de conversas, tudo é feito com uma imagem ‘posada’ enquanto os textos passam entre os personagens.

E é claro que sentimos falta do nosso bom e velho português. Enquanto a dublagem é feita em japonês, a legenda aparece em inglês, mas nada de ‘Bafo de pimenta’ do Agumon :(.

CONCLUSÃO:

Digimon Story Cyber Sleuth é o melhor game sobre os monstros digitais já feito. Possui um elenco absurdo, com mais de 200 Digimons, todos muito bem desenhados e aptos para o sistema de combate fluido e viciante. Os cenários entediantes e diálogos repetitivos não tiram o brilho da ação do game.

PONTOS POSITIVOS:

  • Mais de 200 Digimons
  • Sistema de combate excelente
  • Chefões desafiadores

PONTOS NEGATIVOS:

  • Cenários chatos
  • Modo como os diálogos são feitos
  • Sem português

NOTA – 8/10

Gostaríamos de agradecer à Bandai/Namco, que nos cedeu uma cópia de Digimon Story Cyber Sleuth para PlayStation 4, plataforma utilizada nesta análise.

 

 



MaisRecentes

Em noite de gala, Team One se destaca e Felipe ‘brTT’ é eleito o craque da galera no prêmio CBLoL



Continue Lendo

Toma-lhe GOTY! Os cinco candidatos ao prêmio de Melhor Jogo de 2017



Continue Lendo

Análise Press Start – Assassin’s Creed Origins



Continue Lendo