Análise Press Start -Devil May Cry HD Collection



A Análise Press Start de hoje mais uma vez retorna a gerações passadas dos consoles para buscar três clássicos. Só que dessa vez remasterizados para PS4, Xbox One e PC. Confira o que achamos de Devl May Cry HD Collection.

Dizer que Devil May Cry é uma das franquias mais famosas e bem sucedidas dos games é pouco. Estamos falando de jogos que simplesmente revolucionaram o gênero hack-and-slash desde o seu primeiro lançamento, em 2001, no saudoso PS2. Agora, em 2018, a Capcom resolveu lançar uma coletânea re(re)masterizada dos três primeiros títulos, algo que já havia sido feito em 2012 para PS3 e Xbox 360, mas que agora chega ainda mais “Stylish”.

As maiores diferenças entre as versões da geração passada e da atual estão na resolução, onde antes tínhamos os jogos rodando em 720p, agora vemos os gloriosos 1080p. Além disso, em Devil May Cry 3, as cutscenes agora ocupam a tela inteira, sem as barrinhas de widescreen. Mas, será que os jogos resistiram aos efeitos do tempo?

Começando do começo, Devil May Cry foi lançado há 17 anos, e, assim como era na época, ainda é uma obra de arte. Estamos falando de uma combinação perfeita entre um gameplay frenético e tenso com uma atmosfera incrível, baseada em arquitetura gótica, e um toque de mestre da trilha sonora. Foi onde tudo começou, e onde nós conhecemos nosso meio humano, meio demônio favorito, Dante. É ótimo ver que a Capcom manteve o nível de dificuldade intacto. Estamos falando de algo que beira os jogos da série Souls.

Devil May Cry 2, no entanto, é o ponto mais fraco da franquia. Tudo aquilo que amamos no primeiro game faz do segundo quase um fracasso. A história é fraca, a atmosfera já não é tão envolvente e o gameplay sofre demais com a queda no ritmo dos combates. Apesar disso tudo, ainda é um jogo um tanto quanto divertido, mas que não chega aos pés do primeiro e muito menos do terceiro.

Falando no diabo (sim, a piadinha ridícula foi intencional!), chegamos à cereja do bolo. Devil May Cry 3 é até hoje um dos melhores jogos que eu tive o prazer de jogar em minha vida. Tudo é superior aos seus antecessores. O gameplay é absolutamente viciante e divertido, a ambientação é magnífica, Dante está ainda mais engraçado e cheio de personalidade, a dificuldade dessa vez rivaliza com as obras de arte de Hidetaki Miyazaki e a história é sensacional.

CONCLUSÃO

Devil May Cry HD Collection é uma versão ligeiramente melhrada da que tivemos em 2012. E isso é excelente! Estamos falando de um jogo excelente, outro bom e um último que figura entre os mais completos da história, com sua parte áudiovisual aprimorada. Tá esperando o que para comprar?

PONTOS POSITIVOS

– Áudiovisual aprimorado
– Nostalgia pura

PONTOS NEGATIVOS

– Devil May Cry 2 continua decepcionando

NOTA – 9

Gostaríamos de agradecer à Capcom, que nos cedeu uma cópia de Devil May Cry HD Collection para Xbox One, plataforma usada nesta análise.



MaisRecentes

INTZ vence Black Dragons e se aproxima dos líderes no retorno do Brasileirão Rainbow Six 2019



Continue Lendo

Team Liquid vence paiN Gaming e encerra o ano na liderança do Brasileirão Rainbow Six 2019



Continue Lendo

A Fallen Gear anuncia campanha para a escolha do nome do primeiro headset da marca



Continue Lendo