Análise Press Start – Destiny 2: Maldição de Osiris



A Análise Press Start de hoje retorna ao incrível universo de Destiny 2 para conferir a primeira de uma série de expansões programadas para o game. Confira o que achamos de Maldição de Osiris.

Maldição de Osiris causou uma pequena turbulência logo assim que ficou disponível para os jogadores. Isso porque alguns dos conteúdos do game base acabaram por ficar bloqueados para apenas aqueles possuíam a expansão. Após um curto período e um pedido de desculpas da Bungie, tudo foi resolvido, e pudemos avaliar a DLC por si só.

E sempre que um novo conteúdo é adicionado a um jogo, principalmente um multiplayer, é preciso ter muito cuidado na hora de balancear cada uma das novidades em relação ao que já existe. Maldição de Osiris finalmente nos conta a história do lendário Arcano. A narrativa tem um potencial incrível, digno das obras fantásticas de Brandon Sanderson, mas peca por não saber explorar ao máximo este mesmo potencial.

A expansão adiciona um novo planeta, Mercúrio, assim como uma extensão da Campanha principal, Assaltos, mapas do Crisol, Aventuras e muitos equipamentos e armas para colecionar. Dentro todo esse novo conteúdo, apenas um se destaca. A Raid Lair de Maldição de Osiris é a melhor do jogo até agora.

Vamos começar detalhando a Campanha, que começa logo após os eventos do jogo base. O inimigo agora são os Vex, e nós somos pegos no meio de uma mistura muito louca entre linhas do tempo, simulações de computador e os segredos e mistérios de Osiris. Como dissemos acima, a Bungie não soube aproveitar o potencial desta trama, e a duração da campanha é de aproximadamente 2 horas. Não há tempo suficiente para entender tudo que está acontecendo, nem mesmo descobrir mais sobre o personagem que dá nome à DLC. Vale destacar, no entanto, a Floresta Infinita, local criado pelos Vex para simular linhas do tempo e suas infinitas variáveis.

Contamos anteriormente que nenhuma das atividades da expansão é muito interessante, com a exceção da Raid Lair. Ela consegue fazer bom uso de puzzles e quebra-cabeças enquanto metralhamos inimigos. Mais uma vez, assim como no jogo principal, é preciso um excelente trabalho em equipe e saber escolher os equipamentos corretos para avançar pela Raid e chegar no objetivo final.

CONCLUSÃO

Maldição de Osiris tinha um potencial incrível para expandir a lore de um dos personagens mais misteriosos e interessantes de Destiny. Infelizmente a Bungie não soube expolorá-lo, e entregou uma DLC com pouco conteúdo, de onde se aproveita apenas a Raid.

PONTOS POSITIVOS

– Raid divertida e desafiadora

PONTOS NEGATIVOS

– Campanha curta
– Modos de jogo não são interessantes

NOTA: 6/10

Gostaríamos de agradecer à Activision, que nos cedeu uma cópia de Maldição de Osiris para PS4, plataforma usada nesta análise.



MaisRecentes

Game baseado no Rali Dakkar será lançado ainda em 2018



Continue Lendo

Análise Press Start – Street Fighter V: Arcade Edition



Continue Lendo

Embalado por título, INTZ começa sua trajetória no primeiro split do CBLoL 2018 neste sábado



Continue Lendo