Análise Press Start – Battlefield Hardline



Tiro, porrada e bomba. Falaremos muito dessas três palavras na nossa análise do mais novo capítulo de uma das séries mais aclamadas da história dos videogames. Confira um review de Battlefield Hardline.

Para os fãs mais fervorosos de Battlefield, Hardline pode causar um certo estranhamento, pois foge de toda a tradição militar da série para dar ênfase a um tipo diferente de guerra. Os tanques dão lugar a carros e motocicletas velozes, enquanto soldados perdem o protagonismo para policiais e bandidos. Apesar de um enfoque alternativo, o game ainda se mostra muito bem produzido e capaz de proporcionar infinitas horas de diversão para os adeptos do FPS.

Durante a análise, vamos falar sobre a campanha e, claro, sobre o multiplayer, que, sem dúvidas, é o modo mais atraente da franquia. A história de Battlefield Hardline faz você se sentir dentro de um seriado de TV norte-americano. No papel do policial Nicholas Mendoza, seu objetivo é combater a comercialização de um novo tipo de droga em Miami. Como todo bom show, o mocinho passa por momentos de provação e desconfiança, tendo que convencer o mundo de sua lealdade ao distintivo.

Não espere tiroteios descontrolados pela Flórida. Em Hardline um novo modelo de combate é apresentado à série. O tão eficaz e complicado ‘stealth’ chega a Battlefield ampliando o leque de abordagens aos inimigos na campanha. Prepare-se para render até 3 bandidos e algemá-los com a cara no chão. É claro que você ainda terá que encarar algumas trocas de balas ao longo da história, mas é muito interessante saber que há a possibilidade de usar uma taser gun para imobilizar ao invés de buscar sempre um headshot.

Esse novo estilo de abordagem faz parte do sistema de upgrade do personagem. Prender suspeitos, escanear provas, além de utilizar as técnicas não letais para apreender um bandido garantem pontos para a evolução de Mendoza. Não adianta tentar fugir do stealth, já que simplesmente ‘sentar o dedo’ nos inimigos não vai adiantar na hora de progredir o protagonista.

Falando de Nick Mendoza, uma das maiores polêmicas de Battlefield Hardline no Brasil foi a dublagem do cantor Roger Moreira. Choveram críticas em cima da atuação do artista, que chegou a se envolver em algumas discussões online. Fizemos questão de utilizar o áudio original e o em português, e, apesar da superioridade ‘gringa’, o trabalho de Roger não é ruim. A escolha simplesmente não parece ter casado entre a voz marcante do vocalista com a aparência mais jovem e latina do protagonista do game.

Finalizando a análise do singleplayer, vale destacar a forma como a história é conduzida. A Visceral Games mandou muito bem em seguir um ‘padrão Netflix’, contando o enredo em capítulos, inclusive utilizando uma tela de ‘espera’ entre os episódios, da mesma maneira que se vê no serviço de streaming. Além disso, uma única reclamação com relação à campanha é sobre a IA. Os inimigos podem se tornar bastante fáceis de serem superados, usando as mesmas estratégias de abordagem.

Chegamos à cereja do bolo. Atualmente, as campanhas dos games têm sido mais curtas, criando uma expectativa maior no multiplayer. Battlefield Hardline faz bonito em traz uma bela dinâmica ao duelo ‘polícia x ladrão’ com modos de jogo extremamente envolventes e divertidos. E quando se pensa na parte online da franquia, já se pode imaginar a ação frenética com 64 jogadores correndo por mapas enormes. A jogabilidade se mantém a mesma dos títulos mais recentes da série, mas em um novo ambiente.

Além de ‘Cada um por si’, e Conquista (grande e pequena), Hardline introduz cinco novos modos de jogo em seu multiplayer. São eles: ‘Roubo’, ‘Dinheiro Sujo’, ‘Mira’, ‘Resgate’ e ‘Ligação Direta’. Vamos analisar cada um em separado.

Em Roubo, os policiais terão que lutar conta bandidos que tentarão invadir um cofre e roubar uma enorme quantidade de dinheiro. Quando isso acontece, ainda há a fuga, na qual os ladrões buscam sair do local em veículos.

Dinheiro Sujo é um clássico caso de ‘cobertor curto’. Uma enorme pilha de saque foi interceptada em trânsito. Os criminosos devem lutar para roubar o dinheiro, enquanto os policiais devem tentar protegê-lo para usar como prova. Cada equipe deve tentar proteger o dinheiro no seu cofre, mas ele não estará seguro lá, já que há a possibilidade de roubar a grana do adversário.

Mira traz um ex-criminoso, que se tornou testemunha do estado, e está fugindo de seus antigos parceiros. Os criminosos tentarão apagar o VIP, enquanto os policiais buscarão escoltá-lo em segurança. Uma morte e você está fora da partida.

Resgate é um modo centrado nos policiais que permite que você assuma o papel de um agente da SWAT, com a missão de salvar vidas inocentes das mãos de criminosos. Lidere a sua equipe cuidadosamente por ambientes perigosos e traga os reféns de volta em segurança. Mas tome cuidado, não há segundas chances neste modo.

Em Ligação Direta, os criminosos devem roubar uma lista de carros marcados enquanto que os policiais tentam recuperá-los. Use as suas habilidades no volante para alcançar os inimigos e leve um amigo armado para eliminá-los.

São horas de muita diversão no multiplayer de Battlefield Hardline. A possibilidade de viver ‘os dois lados da moeda’ aumentam muito a vida útil online, já que há equipamentos específicos para policiais e bandidos. São nove mapas no total, o que pode parecer um número baixo, mas a interatividade e a forma como o combate altera os variados ambientes não deixam o gamer enjoar.

Um avanço em relação a Battlefield 4 são os servidores. Passamos horas jogando o modo multiplayer de Hardline, em dias e horários variados, e não tivemos qualquer problema de conexão. É muito rápido e fácil se juntar à ação online, e não percebemos qualquer presença do temível ‘lag’.

Falando sobre os gráficos de Battlefield Hardline, não há do que reclamar. O jogo está muito bonito, com ambientes que vão se deteriorando com o combate, tanto na campanha quanto no multiplayer. Já o lado sonoro do game se mantém à tradição da franquia e é fantástico. A reprodução da atmosfera de um combate entre policiais e bandidos é impecável.

 

CONCLUSÃO:

 

Battlefield Hardline supera qualquer desconfiança por sair do gênero militar da série e abordar uma realidade mais urbana. Apesar da decepção em não jogarmos o título em 1080p, e da ausência de um novo motor gráfico, a Visceral Games concluiu com sucesso a transição para o conflito entre policiais e bandidos, agradando a fãs antigos e conquistando novos seguidores para a franquia.

 
PONTOS POSITIVOS:

– Variedade na abordagem aos inimigos na campanha
– Novos e interessantes modos no multiplayer
– Nova temática para a série

PONTOS NEGATIVOS:

– IA previsível
– Mesmo motor gráfico

 

NOTA: 9/10

 

*Gostaríamos de agradecer à EA, que nos cedeu uma cópia de Battlefield Hardline para PS4, plataforma usada nesta análise.



MaisRecentes

SEGA anuncia uma crescente coleção de jogos clássicos para mobile



Continue Lendo

Confira os vencedores da segunda semana do LANCE! de Craque



Continue Lendo

Ubisoft revela na E3 novo jogo de ação e aventura, o Starlink: Battle For Atlas. Conheça!



Continue Lendo