Contrato deixa executivo sob forte vigilância



O novo contrato de Gustavo Oliveira no São Paulo, agora como diretor-executivo, pode ser um sinal de mais transparência em um clube que sofreu com a obscuridade de seus negócios nos últimos meses.

Ao expor detalhes do vínculo, Leco monta um escudo para possíveis acusações contra o dirigente. Se confiam na honestidade de Gustavo e já lhe garantem bônus por vendas de atletas, as suspeitas por favorecimento em negociações podem diminuir. Mas para isso haverá algumas contrapartidas para o cartola.

Gustavo terá de conviver com constante e forte vigilância sobre todas suas movimentações no mercado. Além disso, o formato e os valores do contrato carregam mais responsabilidades para o diretor-executivo. O profissional terá mais autonomia na mesma proporção em que terá mais cobranças por resultados.



  • Zartann Almeida

    Enquanto num aparecer um presidente que pense diferente e almeje crescimento do clube, pois, está gestão se é que pode chamar de gestão vai acabar de falir o clube. Lamentável , mas como aqui funciona assim.Fica o meu silencio pela revolta.

MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo