Doriva não tem garantias mesmo se conseguir Libertadores



A falta de iniciativa da diretoria do São Paulo para com Doriva é reflexo da confiança que o treinador passa a seus superiores. Nenhum deles admitirá publicamente e nem devem, mas não há segurança sobre a permanência do comandante. Mesmo que ele classifique o time para a Libertadores do ano que vem. Movimentar-se pensando em 2016 sem consultá-lo é só mais um atestado.

Em outras palavras, Doriva ainda não conseguiu seduzir os cartolas. E não por má vontade. Ao contrário. A análise é de que o treinador tem caráter indiscutível, boas intenções e muita vontade de trabalhar. Mas se equivocou em alguns pontos, além de o momento não ser favorável.

Vale lembrar que o comandante foi contratado quando não havia sequer diretoria. Era apenas o ex-presidente Carlos Miguel Aidar, agora persona non grata no clube pelo modo como renunciou, e José Eduardo Chimello, já demitido da gerência.

Da parte em que pode ser considerável responsável, Doriva deu um tiro no pé ao atacar o trabalho de Juan Carlos Osorio, seu antecessor. Menos por uma possível vaidade dos dirigentes que trouxeram o colombiano, mas porque ofereceu bem pouco até então. Os resultados são ruins (três derrotas, com uma eliminação na Copa do Brasil, um empate e duas vitória). Os métodos não empolgam. O discurso não convence. Passa aos diretores a imagem de que pode vir a ser, ainda não é. Vale a aposta?

Doriva tem pelo menos mais cinco jogo. No cenário atual, levar o time à Libertadores está mais para abrir uma saída pela porta da frente do que garantir sua permanência.



  • Cláudio Rogério

    Eu acho o Doriva um cara em evolução, mas não um técnico experiente…
    Ainda não é um técnico apropriado e preparado pra comandar times grandes, onde a pressão por resultados é constante. Ele de fato é um cara trabalhodor, dedicadíssimo e quer alcançar voos mais altos, mas ainda não passa essa confiança ao time.

  • Rogério Esasika

    Se o Doriva não é o técnico ideal para comandar o Tricolor no ano que vem, por que o contratou, então? Ou seja, é muita incompetência, muita safadeza dessa diretoria tão nefasta e tão nebulosa assim… E ainda, continuo achando que dias ruins virão para os lados do Morumbi…

MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo