Leco começa bem, mas não pode recuar



Começou bem a gestão de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, como presidente do São Paulo. As primeiras decisões do dirigente já deixaram o clube com ar mais palatável, depois da intragável era Carlos Miguel Aidar.

O retorno de profissionais com perfil moderno, em busca de novos caminhos para o futebol, como o diretor-executivo Gustavo Oliveira e o CEO Alexandre Bourgeois, são exemplos. A saída do “velho” gerente José Eduardo Chimello, também. É sinal de apontar para o futuro, tudo que o clube mais precisa neste momento.

Leco tem o maior desafio de sua vida pela frente. São-paulino fanáticos como poucos ou talvez ninguém, já que paixão tende a ser imensurável, o advogado realizou o sonho de sua vida ao chegar à presidência.

Terá de responder como gestor. Tem grande vivência no futebol e teve papel importante no Conselho Deliberativo. Precisa fazer o São Paulo ter glórias não só do passado.



MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo