O peixe não só morre pela boca, mas também pode matar por ela



Doriva, desde o dia em que foi apresentado como técnico do São Paulo questionou, criticou e ignorou praticamente todo o legado de Juan Carlos Osorio. Legado, aliás, defendido com unhas e dentes pela maioria dos jogadores. Quis, com personalidade, se impor em uma situação difícil, mas parece ter passado dos limites. A confiança exagerada para quem ainda dá os primeiros passos como técnico foi castigada com os 3 a 1 desta quarta-feira.

Os riscos que Doriva correria por promover mudanças radicais em uma filosofia de trabalho que estava em franca evolução foram alertados por toda parte. O técnico manteve sua postura e ainda sentenciou que a equipe de Osorio não tinha compactação. O peixe morre pela boca, mas às vezes mata por ela também. Vide o baile de bola, a aula tática de Dorival Júnior para chegar à final da Copa do Brasil.

O Santos foi o maior algoz do São Paulo na temporada por saber ler as principais falhas do Tricolor. Um exemplo, nos últimos três jogos, foi a maneira com a qual a saída de bola do time da capital foi anulada. Tal defeito foi tão evidente nos confrontos anteriores que a escalação de Doriva para o jogo de ontem na Vila Belmiro soou surreal.

Sair jogando ficou mais difícil e o amontoado de nomes de peso no ataque abriu uma lacuna nunca vista nas formações de Osorio. Com ele, o São Paulo ficava exposto, mas praticamente inteiro no campo de ataque. Ontem, se dividiu: cinco marcam, cinco atacam – e não voltam.

Pior de tudo é reparar que uma formação nova, arriscada e dependente de muito trabalho foi treinada somente na terça-feira – segunda os titulares não foram a campo após vencerem o Coritiba. Doriva foi traído pelo discurso, pelo desprezo. E o Tricolor foi atropelado em um dos maiores vexames de sua história.



  • mario

    Só 3, sem humilhar…tem q respeitar freguês bom debaixo d’agua, sem água, na praia.

    • Pedro Gregorio

      Na boa? Obrigado por não humilharem, porque tinha tudo pra ser um vexame histórico.
      Mas vocês ainda são fregueses históricos do tricolor; as estatísticas confirmam.

      • Ivan Moysés

        É isso que estou dizendo.Cansei de ver o tricolor sacudir o Santos na década de 80 e na década de 90.Dava dó ! Só que atualmente,eles tem levado vantagem.Fato também ! Boa recuperação pra você !

    • Ivan Moysés

      Freguês com mais de 30 vitórias a mais na história do confronto ? Admito que o Santos tem levado vantagem no mata-mata desde 2002,é fato ! Mais sofreu demais na mão do São Paulo nas décadas de 80 e 90,inclusive muitas vezes goleado.

MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo