As cinco tarefas de Osorio



Há uma semana, Juan Carlos Osorio disse que considera cinco alternativas para furar uma retranca.

Naquele dia, o São Paulo empatou sem gols com a Chapecoense e não criou nenhuma chance no Morumbi, porque, para Osorio, apenas um item fora cumprido. Na última quarta-feira, contra o Vasco, os atletas resolveram seguir à risca à cartilha do Lorde.

Primeira tarefa: os laterais Bruno e Carlinhos chegaram bastante na linha de fundo, sempre com ajuda de Michel Bastos e Alexandre Pato.

Segunda tarefa: chutar de fora da área era outro pedido de Osorio e Pato levou a sério com o golaço.

Terceira tarefa: a ordem é trabalhar a bola com paciência para abrir a zaga rival. Assim, com a calma de Ganso, o segundo gol nasceu.

Quarta tarefa: aproveitar os cruzamentos era outra cobrança. Wilder bailou na ponta direita e serviu com açúcar para Luis Fabiano.

Quinta tarefa: agressividade no meio para evitar contra-ataques. Nisso, Breno, Thiago Mendes, Rodrigo Caio e Lucão foram perfeitos.



MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo