Morumbi traz paz para Osorio e Milton Cruz



A força mental do São Paulo no San-São desta quarta-feira no Morumbi ainda não havia sido vista neste ano. Até aqui, 2015 estava marcado pela fragilidade psicológica dos tricolores, que desta vez conseguiram superar a irritação com a arbitragem e falha de Rogério Ceni e agora se mostram fortalecidos por três fatores fundamentais.

O primeiro deles é a chegada de Juan Carlos Osorio. Em três dias de trabalho, é impossível dizer que sejam seus métodos os responsáveis pelos 3 a 2 sobre o Santos. Mas é evidente que a presença do colombiano nas tribunas do Morumbi trouxe motivação extra ao grupo. Basta ver o que Ceni já vislumbra sobre o caminho do novo treinador.

O segundo fator é Milton Cruz. Com o trabalho intenso e cuidadoso no dia a dia, se aproximou até de jogadores antes distantes e usa esse prestígio com o grupo e os números (oito vitórias em 12 jogos) para jogar toda a pressão na ala da diretoria que planeja vê-lo longe do CT da Barra Funda em breve.

Por fim, o São Paulo segue se apoiando no Morumbi para fortalecer a mente. O estádio viu apenas uma derrota no ano (1 a 0 para o Corinthians no Campeonato Paulista) e agora já acumula dez vitórias consecutivas e 25 gols marcados.

Com tal retrospecto nas costas, tirar forças mesmo em partida com tantos sinais de desastre e instabilidade emocional se torna tarefa mais fácil. E com Osorio e Milton em parceria no Morumbi, a mente tende a ficar ainda mais forte.



  • Alô ? Tem alguém aí ? E vocês vem dizer que eu sou negligente e vamp ! Eu não sou vamp ! Ó o casal de filhos que eu tenho ! Na infância,eu comia terra,mastigava borracha suja e comia papel ,triturava-os com a boca e jogava eles na televisão ! Eu pareço um inhambuzinho ou uma codorninha ?

    • Ahahahahahahahahhaahahahahahahaaa !!!! Quacuacuacaracacacacacacacacaaccacacaa !!!!!!

      • Eu no seu lugar,estaria preocupado !

        • Você será interpelado judicialmente ! No seu lugar eu estaria preocupado ! Para ! Para ! Sai daqui ! Sai daqui !

MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo