O artifício útil e funcional da ‘bola parada’



(Análise do editor do LANCE! Maurício Oliveira, sobre a vitória do São Paulo por 2 a 1 sobre o Criciúma, neste domingo).

O lance abriu caminho para a vitória deste domingo sobre o Criciúma, foi decisivo nos 3 a 0 sobre o Goiás e fez parte, com golaço de Ceni, dos 2 a 1 contra o Bahia.

Com escanteio ou falta próxima à área, o São Paulo tem também a “bola parada” (com o perdão do termo, já que é difícil imaginar uma bola parada indo para o gol…) como artifício útil e funcional para conquistar pontos e manter a perseguição ao Cruzeiro, sempre líder.

Só nos jogos citados acima, foram nove pontos somados nas últimas quatro rodadas – a exceção foi o 0 a 0 com a Chapecoense.

Não digo aqui que o São Paulo se vale da bola parada (ops!) e do pragmatismo para bater adversários desesperados contra o rebaixamento. O melhor período do time de Muricy no campeonato, eu sei, foi a sequência de vitórias que lançou luz ao quarteto formado por Ganso, Kaká, Alan Kardec e Pato. Provavelmente, será este o São Paulo de 2014 que a torcida lembrará em futuro breve, mesmo que Pato e Kaká tenham dado lugar a Luis Fabiano (nada Fabuloso) e Michel Bastos, cedo demais.

Mas que a tal da bola parada (de novo!) e a cabeça de Edson Silva ajudam Muricy, ah ajudam!

Em Criciúma, foi com elas que o São Paulo respirou depois de tomar sufoco por mais de meia hora do time da casa. Com Eduardo e Giovanni pelas laterais, espremendo Alvaro Pereira e Hudson, e o “coroa“ Cleber Santana e o menino Lucca armando, o Tricolor parecia um lutador grogue dominado no chão, tentando se esquivar dos golpes.

O alento vinha quando Ganso pegava na bola – desde que não acionasse Luis Fabiano, peso morto neste domingo. Difícil não ver o Ganso e não imaginá-lo na Seleção…

O São Paulo somou mais três pontos e continua na caça ao Cruzeiro. O título está longe. Mas a Libertadores-2015 está logo ali. Com ou sem bola parada (desculpem!).



  • Hoje pela terceira vez o Maicon saiu e 5 minutos depois, o time tomou gol e se perdeu na defesa. O Maicon junto com o Hudson dão consistência a zaga, meio de campo e saída de bola.

    A dupla Denilson e Souza não conseguem sair jogando e isso sobrecarrega a defesa.

    Nos últimos jogos enquanto Maicon e Hudson estavam JUNTOS em campo, o time fez 7 gols e tomou 0 gols. Quando um dos 2 jogadores sai do time, o meio e a zaga desabam! Parece até magica, mas comecem a perceber isso….

    Na boa, o São Paulo tem que acordar nesse ponto.
    Não se pode jogar com 2 volantes brucutus como Denílson e Souza.
    No mínimo um dos volantes tem que saber sair jogando….
    Maicon é o jogador ideal para ser o segundo-volante.

    E o Hudson não pode sair desse time de forma alguma.

  • SE TRATANDO DE BAMBIS

    NÃO SERIA ORIFÍCIO???

    • V. é entendido no assunto,hein ? HEEEEEEEEEEEEEEEEEmmmm ! Tô sabendo ! Você,hein !

  • O Roberto Ceni é bom nisso !

MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo