Time entrou um e saiu outro. Postura precisa mudar do início



São Paulo entrou em campo um e saiu outro neste domingo. Não que esse outro tenha sido perfeito, longe disso, mas foi melhor.

Os fatores que fizeram o time mudar visivelmente de postura no segundo tempo, não sei. Algumas coisas continuam sem explicação. Na primeira etapa, o setor ofensivo “estrelado” por Ganso, Kaká, Alexandre Pato e Alan Kardec não fez absolutamente nada: não criou e, consequentemente, não finalizou. Não teve um chute ao gol. O que precisa para um ataque de tanto nome exercer a sua função sem problemas desde o início do jogo?

A defesa tricolor, tão criticada nos últimos jogos, deu sorte dessa vez por não ter tido mais um resultado negativo. Isso se deu muito por conta da ineficiência do ataque rival, que ficou livre por algumas vezes e não soube aproveitar, e também pelo brilho de Alan Kardec, que entrou na segunda etapa inspirado e se tornou protagonista do jogo.

O atacante, que encontrou pela primeira vez o Palmeiras depois de sua saída conturbada, foi vaiado e provocado pela torcida do ex-clube e respondeu com gol, que garantiu a vitória que o Tricolor precisava depois de uma eliminação inesperada da Copa do Brasil, na última quarta.

O segundo tempo foi totalmente outro. O ataque se entrosou, acertou o passe, desperdiçou algumas chances, mas conseguiu cumprir o objetivo final. Ainda há muita coisa para melhorar. Principalmente “descobrir” porque o time não começa com o nível próximo ao que terminou.

A vitória aliviou, mas o trabalho precisa continuar duro, como Muricy Ramalho gosta de dizer. A sequência pode trazer mais entrosamento. Com o time completo, o técnico pode, enfim, achar a formação ideal.

*Por Daniela Caravaggi



  • Pra mim essas duas vitorias contra Vitoria e Palmeiras não passam de ilusão.

    Vencer ou jogar bem durante meia hora contra time fraco não significa nada.

    O São Paulo tem excesso de jogadores lentos e plantados no ataque, as vezes nas laterais e com os volantes… isso é a causa do péssimo futebol do time. Jogador lento e plantando para diante de qualquer marcação mais forte.

    No dia que começar a mudar a escalação, enfrentar times fortes, vencer e convencer, ai sim isso será parâmetro pra julgar algo.

    Entrosamento não resolve limitação técnica
    Se continuar esse mesmo padrão de escalação, vai permanecer o mesmo padrão de futebol.

  • Felipe

    Os quatro se movimentaram pouco, o ganso se movimenta pouco, creio que o futebol dele esta crescendo devido a movimentação dos outros 3. Rafael Toloi foi muito bem, o Denilson foi bem. Parecia o Denilson do ano passado. O são Paulo colocou o edson silva, o que é uma brincadeira, ele destoa do time. E o Bandeira errou muitos impedimentos em lances chave, contra o são paulo, além de ter marcado um pênalti que não foi.

MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo