União a passos lentos



O discurso conciliador de Carlos Miguel Aidar que envolveu, principalmente, as opções para modernizar o Morumbi não é o maior responsável pela aproximação entre situação e oposição no São Paulo.

Os membros da situação, acostumados a privilégios das gestões de Juvenal Juvêncio, já não têm o mesmo prestígio com Aidar. Incomodados, abriram diálogo com os oposicionistas.

As partes concordam que Aidar pode fazer grande gestão no Tricolor tanto quanto não pretendem que o presidente caia em zona de conforto, algo que tomou conta de Juvenal.

O clima de união ainda é cercado desconfiança, o que pode ser benéfico para a administração do clube. Todos fiscalizam todos.



  • jose setembrino lopes

    o que não deve existir em um club da grandeza do são paulo futebol club, é uma oposição mesquinha e burra que só prejudicou o soberano em não concordar com á modernização do morumbi acordem e vamos todos unidos e trabalhar em favor do nosso amado são paulo, e vamos continuar á ser um exemplo e sermos sempre o maior de todos e um exemplo para todos os demais clubs do nosso BRASIL.

MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo