Personalidade em campo e no discurso



Pode ser coincidência, mas o bom futebol de Paulo Henrique Ganso voltou a aparecer quando o meia passou a dar declarações cheias de auto-confiança.

Ao LANCE!, o armador negou que tenha fracassado na carreira. Disse já ter dado certo. Dias depois, em entrevista no CT da Barra Funda, colocou-se como acima da média de todos meias no Campeonato Brasileiro. Ontem, falou com certeza: tem condições de voltar a vestir a camisa da Seleção Brasileira.

Há quem veja as declarações de Ganso como arrogantes. Para os críticos, também são ilusão. Mas atuações como as do clássico com o Corinthians e da vitória sobre o Flamengo provam que o camisa 10, ainda que marrento, pode estar certo sobre suas próprias qualidades.

Ainda que não seja o Ganso que todos sonharam em 2010, o Ganso que era visto como mais maduro do que Neymar para brilhar, ele ainda pode ser decisivo. A perna esquerda, como elogiou Rogério Ceni, é capaz de definir partidas. A cobrança que deve seguir, e intensamente, é a pela regularidade do armador.



MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo