Reforço Luis Ricardo ainda não disse a que veio



Luis Ricardo foi o primeiro jogador contratado pelo São Paulo para 2014, em negociação fechada com a Portuguesa ainda no ano passado. Com 30 anos, era o jogador do Tricolor mais velho na vitória de 2 a 0 sobre o Botafogo-SP, neste domingo, em Ribeirão Preto, num time com  média de idade de 22,7 anos. Bem acima. Mas o futebol apresentado pelo reforço foi abaixo ou, no máximo, do nível dos garotos.

Não que o lateral-direito, escalado como ala, à frente de três zagueiros que quase não foram ameaçados, tivesse de decidir o jogo. Nada disso. O que chama atenção é que, em dez jogos, ou seja, com boas chances, Luis ainda não disse a que veio e seu futebol ainda é aguardado no Morumbi.

O camisa 27 atuou como prefere, com liberdade e até participou do gol de Ademilson. Mas longe de puxar os companheiros, tomar iniciativa, num jogo de reservas, inclusive do adversário. Em casos assim, um reforço que busca se firmar tem de ser referência. Caso contrário o titular, hoje Douglas, vai dormir tranquilo.

Roger Carvalho, outro contratado ano passado, vive situação pior. O zagueiro ficou apenas no banco de reservas, nem entrou. É verdade que foi bem menos utilizado, em apenas dois jogos.  A oportunidade de ontem se foi.

E a conta dos reforços para um ano de início bom ainda não fechou. Os primeiros a chegar não apareceram. Até quando?



MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo