Dirigente do São Paulo analisa o filme O Poderoso Chefão



A convite do LANCE!Net, o gerente executivo Gustavo Oliveira escreveu um texto sobre a Trilogia “O Poderoso Chefão”, do diretor Francis Ford Coppola. A obra virou inspiração para o zagueiro Antonio Carlos, chamado de “O Poderoso Tonhão”. Leia abaixo:

VITO CORLEONE É UMA FIGURA SENSACIONAL

Para as inúmeras horas de avião e noites de hotel que a vida no futebol exige, livros e filmes clássicos. A viagem para Medellín para o jogo da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, ano passado, foi escolhida para eu rever, e reviver, a trilogia de “O Poderoso Chefão”.

Na obra, o universo secreto da máfia italiana radicada nos Estados Unidos do pós-guerra, e seu império oriundo do comércio ilegal, é ricamente desnudado pelo autor Mario Puzo, que nos oferece a intimidade da “Famiglia Corleone”, suas relações sociais, comerciais e de rivalidade, banhada a sangue com os demais clãs ítalo-americanos: são cinco no total.

Personagem principal da trama e chefe da família, Don Vito Corleone é uma figura extraordinária e, não à toa, é um dos personagens da literatura mais festejados da história. Embora responsável por algumas atrocidades, entendidas como necessárias à manutenção do poder, desperta enorme simpatia e identificação por sua força e carisma, e atos que provocam reflexão sobre os conceitos tradicionais de bem e mal, justo e injusto, certo e errado.

Algumas passagens são emblemáticas, como a  que Don Vito recebe, um a um, os pedidos de favores durante o casamento de sua filha. Cada favor atendido pelo “Padrinho”, de forma nem sempre lícita, se transformava em dívida cobrada pela máfia. Ou mesmo a cena em que Michael, o filho que sucede a Vito como Don, recebe silenciosamente a confirmação do assassinato do irmão que, por traição, ele próprio ordenou.



  • tiferrei

    não entendi nada.. o que tem uma coisa a ver com a outra?

  • saulo

    O felipinho convocou o graaaande henrique para um jogo (logicamente, para que pudessem vendê-lo para o exterior). Quantas vezes o Antonio Carlos joga mais que ele?

MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo