Melhor sem Luis Fabiano em campo



O São Paulo correu menos riscos de sofrer um gol a partir dos 11 minutos do segundo tempo, quando Luis Fabiano deixou o campo para a entrada de Ademilson. Se fosse a primeira vez que isso tivesse acontecido, o fato poderia ser classificado como coincidência. Mas não foi a primeira. Não é coincidência, é consequência.

O Fabuloso não consegue mais jogar partidas seguidas. Sem sequência, ele não tem ritmo quando entra e teve mais uma atuação muito discreta ontem. Sem movimentação, pouco incomodou a defesa do time colombiano e não criou opções para o ataque tricolor. Nem segurar a bola na frente ele conseguiu. Toda vez, errava o domínio ou era desarmado em questões de segundos pelo rival.

A simples entrada de Ademilson fez com que o time corresse mais e passasse a ter mais presença no ataque. E a defesa ganha um desafogo. Ontem, pela circunstância da partida, o Atlético Nacional foi para o tudo ou nada e pressionou no fim, mas puramente no desespero e abafa.

Assim como não era coincidência quando Luis Fabiano estava no lugar certo e na hora certa para marcar seus 177 gols pelo São Paulo. Mas hoje o time rende mais sem ele, infelizmente.

Muricy Ramalho já deu um recado e ontem deu outro ao tirar o camisa 9 como primeira opção. É preciso reagir, Fabuloso!



MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo