Parece fácil chegar até o gol de Ceni



Osvaldo faz tabela com Cortez, Jadson se mexe por todos os lados, Aloísio se desdobra pela ponta direita, Fabuloso briga com os zagueiros, Rogério tenta em cobrança de falta, os zagueiros sobem na hora dos escanteios… O São Paulo fez muito esforço até conseguir o belo gol que abriu o placar no Pacaembu.

Já o Arsenal, inferior tecnicamente, parecia não ter tantas dificuldades para levar perigo a Rogério Ceni. Assim como nos últimos jogos, o sistema defensivo não foi bem. E sistema defensivo não quer dizer que a culpa é apenas dos zagueiros e volante. Falta combate por parte dos atacantes também.

As três bolas na trave mostraram um pouco de azar e a grande dificuldade do time em conseguir furar a retranca argentina. Contra o The Strongest já não havia sido fácil. Sem conseguir criar lances incisivos, o Tricolor recorreu a chutes de fora da área, e assim parou três vezes no poste de Campestrini.

Em busca do gol da vitória, Lúcio até esqueceu que era zagueiro. O camisa 3 foi para o ataque e não voltou. O contra-ataque do Arsenal, que já não encontrava tantas dificuldades, ficou ainda mais fácil. Mas o time de Sarandi não perdeu os dois primeiros jogos à toa.

Nesse momento, Maicon já havia entrado na equipe para compor melhor o meio de campo, depois da saída de Fabrício para a entrada de Ganso. Jadson, o melhor jogador em campo, ficou recuado e apareceu menos do que vinha teve minutos. Além disso, o adversário quase virou.

Na Argentina, talvez o Arsenal dê mais espaços. Mas o Tricolor tem de jogar mais e variar mais. Em casa, novas retrancas virão pela frente.



  • Henrique

    O time dá muito espaço, vc não vê uma antecipação, uma fungada no cangote… em Libertadores precisa de mais raça, de mais briga na marcação!

    Os dois laterais são muito fracos no combate, e agora os volantes, que vinham segurando a barra no ano passado, também estão mal… a bomba está estourando nos zagueiros

    Se o Ney Franco tiver culhões pra escalar essa defesa apenas pelo momento técnico, sem se apegar a essas bobagens de experiência, vai trocar Douglas e Cortez por Lucas Farias e Carleto, e vai escalar Rodrigo Caio e Wellington (este último também está devendo, mas está menos pior que Fabricio e Denilson) no meio.

    Mais pra frente, quando voltarem a jogar melhor, Cortez, Denilson e Fabricio podem até votlar pro time titular, mas hoje não tem condição. Já o Douglas é um caso perdido mesmo, vai ser reserva pra sempre do Lucas Farias ou até do Paulo Miranda, que nem lateral é.

MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo