São Paulo embalou e agora será difícil segurá-lo



Na última quinta-feira, Luis Fabiano havia dito no desembarque da equipe depois da vitória sobre o Vasco que “quando o São Paulo cresce, é difícil de segurá-lo”.

Pois bem, o Tricolor confirmou seu crescimento de produção novamente ontem, contra o Figueirense, que não ofereceu nenhum perigo para tentar frear a arrancada são-paulina.

Com apenas uma diferença em relação ao time que bateu os cruzmaltinos – Denilson, com uma lombalgia, deu lugar a Maicon -, a equipe imprimiu ritmo forte no início do jogo e, diferentemente das vitórias diante de Palmeiras e Vasco, a pressão inicial deu resultado mais rápido, muito em função da fragilidade do adversário.

Douglas, aberto pela direita, fechou por diversas vezes pelo meio, aproximando-se de Jadson para dar opções de tabela.

E justamente essa movimentação do camisa 23, saindo da faixa lateral para a central, resultaria no segundo gol do Tricolor.
Após boa troca de passes e defesa de Wilson, Maicon dominou e só teve o trabalho de servir Douglas, que apareceu de surpresa no meio da área para ampliar.

Dos 20 minutos da primeira etapa até o fim do jogo, o São Paulo diminuiu o ímpeto ofensivo e administrou a vantagem, que, diante de um fraco Figueira, manteve-se intacta até o apito final.

Enfim no G4 e com o futebol apresentado ultimamente, a “profecia” de Fabuloso deve se confirmar daqui a oito rodadas. Será difícil segurar o Tricolor.



  • Rodrigo Lenk

    O Grêmio e o Atlético MG que se cuidem…….já o Fluminense tá difícil!!!

  • Alexandre Nogueira

    Finalmente, o time tem uma cara! Acredito que a tão desejada “base” foi formada. Agora, é garantir a vaga para a Libertadores 2013 e reforçar o time com algumas peças. Na minha opinião, precisamos de um atacante de área para reserva do Fabuloso, a volta de Lugano e dois laterais para disputar posição com Cortez e Douglas.

  • itamar o melhor presidente junto com dilma

    Voce paga sobre 10 salarios m. pra previdencia? voce sabia que quando se aposentar deveria receber 6.220.00 mais a previdencia so vai pagar 800.00 se tiver morendo vai pagar 1.400.00 os petistas ou pr so pode gastar mais de 6.000.00 é com cada presidiario do pt. as verbas do mensalão vai ser devolvidas? duvido, alguen vai ser preso duvido. é uma mafia no poder, ou uma ditadura a todo vapor, gastar 950.00 como aucilio reclusão tanbem sobra verbas publicas, veja a união de lula malufe marta com o comilhão argentino. esperar oque desta viadagen………………………serra no poder.

    • Jorge Linhaça

      Calculando tão friamente quanto possível, baseado na tabela restante, sem levar em conta erros gritantes de arbitragem o campeonato deve terminar mais ou menos assim ( 2 pontos para cima ou para baixo ) Flu 76 pontos, São Paulo, 70 pontos, Grêmio 69 pontos, Atl.Min. 67 pontos e Vasco 60 pontos. Sendo assim o Tricolor deve ir direto para a Libertadores como vice ou terceiro colocado.
      Isso sem contar a Sul- Americana onde temos tudo para levantar o caneco.

      • fenomeno

        bambicharadas fregueses n1 do todo poderoso timao, vai corinthians!!!

        • vai vir conhecer a cidade de toyota…e voltar p trás……..

        • jorge wash

          vai tomar no seu botão q vcs travecada ficaram 5 anos sem ganhar do TRIcolor,ANALfabeto idiota!!!!ah 100tenada,kkkkkkkkkk vcs são homens soh no pc pq frente à frente passa mal!!!!

        • O que esse fedorento, gamba e lider da parada GAY esta olhando o site do SOBERANO? HA, eu esqueci, é que o timinho dele é aquele timeco de merda que não tem nada, nem noticia tem, ai eles tem que ficar olhando o site do SOBERANO, TRI MUNDIALLLLLLLLLL? AQUI É TRICOLORRRRRRRRR, AS FÉRIAS DO SPFC ACABOUUUUUUUUUU, AGORA É MAIS 4 OU 5 ANOS GANHANDO TUDOOOOOOO……………….

  • Julio

    Ótimo comentario mas… o que isso tem a ver com a reação do SPFC no campeonato Brasileiro??

  • SAULO

    O fluminense está difícil porque…porque…porque…,bem, você assistiu ao jogo flu X PONTE?

  • O S.P.F.C., acredito eu, vai ficar entre os 4 primeiros, portanto na Libertadores de 2.013. Mas, campeão não. Por uma questão muito simples, quem viu a Ponte Preta ser operada ontem pela arbitragem, escandalosamente, jamais, vai duvidar que o Fluminense ñ.será campeão. O que fizeram c/a simpática MACACA, torcida amiga,,foi um assalto. Para mim, o FLUZÃO pode encomendar as faixas e colocar a champagne no gelo!!!

  • TONINHO TRICOLOR

    Continuo com o mesmo pensamento de ontem. J.Juvencio, corra atrás do PAVONE do LANUZ
    da Argentina, ele é um centroavante muito bom, raçudo, oportunista e de presença de área. Ele, poderá jogar ao lado do L.Fabiano e Osvaldo. Imaginam eles sendo lançados por GANSO e/ou Jadson?. Na príxima Libertadora, precisamos de um centroavante igual a ele. E, quando o L.Fabiano se machucar?. Como Ficará?. Abraços.

  • MAURÍCIO

    ESSA É FODA……….CÚ-RINTHIANO DEPOIS DO 100º GOL DO M1T0……… E DE RACHAR DE RIR!!!!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=y43j4r2NGoo

    • MAURÍCIO

      DEU PITI NA MENINA…KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • SAULO

    A campanha continua:

    Encontre um CUrintiÂNU que NÃO SEJA CORNO e concorra a um carro zero.

    Aqui tem um bando de CORNO, CORNO por ti CUrintia

  • O Corinthias(Travecos) vai tomar no cú.boiolas

  • Cativeiro

    O Morumbi foi construído com dinheiro público
    6/ago de 2011 às 7:09 | Categoria: São Paulo
    Em dezembro de 1950, a Imobiliária Aricanduva (cujo dono era o Adhemar de Barros), conseguiu empréstimo do Governo do Estado (o Governador era o próprio Adhemar) para terraplanar e criar toda a infraestrutura em uma gleba na região do Morumbi. Um escândalo de corrupção na época. O bairro, com todas as benfeitorias, passou a se chamar JARDIM LEONOR, nome da esposa do Ademar de Barros. Um ano depois, em 1951, o São Paulo convidou Laudo Natel (político ligado a Adhemar de Barros) para ser tesoureiro do clube.
    Este negociou a compra de 68 mil m2 na região e “ganhou” do Governo do Estado mais 90 mil m2. Em 1955, três anos depois, o São Paulo VENDEU ao Governo do Estado o terreno do Canindé (aquele que GANHOU 11 anos antes), sem qualquer benfeitoria adicional. O Governo comprou e repassou à Portuguesa, que se viu obrigada a construir campo e arquibancada para começar a usar, pois estava completamente abandonado. Em 1966, em pleno regime de ditadura militar, Laudo Natel já havia se tornado Presidente do São Paulo e, ao mesmo tempo, Governador do Estado, quando o seu “mentor”, Adhemar de Barros, foi cassado por corrupção. O então Governador determinou que os estudantes da rede pública vendessem carnês chamados “Paulistão”.
    O dinheiro arrecadado seria para a formatura dos alunos, mas, parte da arrecadação serviu para ajudar na construção do novo Estádio. Ou seja, em um período de ditadura, da censura aos jornais, sem explicações sobre a origem do dinheiro, sem um clube de associados que pudesse gerar receita, sem rendas (pois jogava em estádios praticamente vazios), o SPFC construiu um estádio que nem nos dias atuais (de direitos de TV, patrocínios, venda de atletas) conseguiria construir… Com medo de um vexame, o SPFC pediu emprestado 2 jogadores ao Palmeiras (Julinho e Djalma Santos), 2 ao Corinthians (Almir e Ari) e 1 ao Santos (Pelé, contundido, não compareceu) para a festa de inauguração do estádio, contra o Nacional do Uruguai.

  • Cativeiro

    O Morumbi foi construído com dinheiro público:
    Em dezembro de 1950, a Imobiliária Aricanduva (cujo dono era o Adhemar de Barros), conseguiu empréstimo do Governo do Estado (o Governador era o próprio Adhemar) para terraplanar e criar toda a infraestrutura em uma gleba na região do Morumbi. Um escândalo de corrupção na época. O bairro, com todas as benfeitorias, passou a se chamar JARDIM LEONOR, nome da esposa do Ademar de Barros. Um ano depois, em 1951, o São Paulo convidou Laudo Natel (político ligado a Adhemar de Barros) para ser tesoureiro do clube.
    Este negociou a compra de 68 mil m2 na região e “ganhou” do Governo do Estado mais 90 mil m2. Em 1955, três anos depois, o São Paulo VENDEU ao Governo do Estado o terreno do Canindé (aquele que GANHOU 11 anos antes), sem qualquer benfeitoria adicional. O Governo comprou e repassou à Portuguesa, que se viu obrigada a construir campo e arquibancada para começar a usar, pois estava completamente abandonado. Em 1966, em pleno regime de ditadura militar, Laudo Natel já havia se tornado Presidente do São Paulo e, ao mesmo tempo, Governador do Estado, quando o seu “mentor”, Adhemar de Barros, foi cassado por corrupção. O então Governador determinou que os estudantes da rede pública vendessem carnês chamados “Paulistão”.
    O dinheiro arrecadado seria para a formatura dos alunos, mas, parte da arrecadação serviu para ajudar na construção do novo Estádio. Ou seja, em um período de ditadura, da censura aos jornais, sem explicações sobre a origem do dinheiro, sem um clube de associados que pudesse gerar receita, sem rendas (pois jogava em estádios praticamente vazios), o SPFC construiu um estádio que nem nos dias atuais (de direitos de TV, patrocínios, venda de atletas) conseguiria construir… Com medo de um vexame, o SPFC pediu emprestado 2 jogadores ao Palmeiras (Julinho e Djalma Santos), 2 ao Corinthians (Almir e Ari) e 1 ao Santos (Pelé, contundido, não compareceu) para a festa de inauguração do estádio, contra o Nacional do Uruguai

  • Cativeiro

    O Morumbi foi construído com dinheiro público
    6/ago de 2011 às 7:09 | Categoria: São Paulo
    Em dezembro de 1950, a Imobiliária Aricanduva (cujo dono era o Adhemar de Barros), conseguiu empréstimo do Governo do Estado (o Governador era o próprio Adhemar) para terraplanar e criar toda a infraestrutura em uma gleba na região do Morumbi. Um escândalo de corrupção na época. O bairro, com todas as benfeitorias, passou a se chamar JARDIM LEONOR, nome da esposa do Ademar de Barros. Um ano depois, em 1951, o São Paulo convidou Laudo Natel (político ligado a Adhemar de Barros) para ser tesoureiro do clube.
    Este negociou a compra de 68 mil m2 na região e “ganhou” do Governo do Estado mais 90 mil m2. Em 1955, três anos depois, o São Paulo VENDEU ao Governo do Estado o terreno do Canindé (aquele que GANHOU 11 anos antes), sem qualquer benfeitoria adicional. O Governo comprou e repassou à Portuguesa, que se viu obrigada a construir campo e arquibancada para começar a usar, pois estava completamente abandonado. Em 1966, em pleno regime de ditadura militar, Laudo Natel já havia se tornado Presidente do São Paulo e, ao mesmo tempo, Governador do Estado, quando o seu “mentor”, Adhemar de Barros, foi cassado por corrupção. O então Governador determinou que os estudantes da rede pública vendessem carnês chamados “Paulistão”.
    O dinheiro arrecadado seria para a formatura dos alunos, mas, parte da arrecadação serviu para ajudar na construção do novo Estádio. Ou seja, em um período de ditadura, da censura aos jornais, sem explicações sobre a origem do dinheiro, sem um clube de associados que pudesse gerar receita, sem rendas (pois jogava em estádios praticamente vazios), o SPFC construiu um estádio que nem nos dias atuais (de direitos de TV, patrocínios, venda de atletas) conseguiria construir… Com medo de um vexame, o SPFC pediu emprestado 2 jogadores ao Palmeiras (Julinho e Djalma Santos), 2 ao Corinthians (Almir e Ari) e 1 ao Santos (Pelé, contundido, não compareceu) para a festa de inauguração do estádio, contra o Nacional Uruguai..

  • Cativeiro

    CHUPEM MAIS AINDA BICHONAS !!!!!!!!

    http://www.youtube.com/watch?v=My2RyX_hCr0

  • Cativeiro

    CHUPEM AINDA MAIS BICHONAS !!!!!!!!

    http://www.youtube.com/watch?v=My2RyX_hCr0

  • Cativeiro

MaisRecentes

‘Hudson é um bad boy elegante’



Continue Lendo

Quando se faz jus ao termo trabalho



Continue Lendo

São Paulo e as expulsões a base de anti-inflamatório



Continue Lendo