River Plate: como chega o atual campeão da América contra o Internacional - Toco y me voy

River Plate: como chega o atual campeão da América contra o Internacional



A equipe de Gallardo venceu o Boca Juniors na final da Copa Libertadores de 2018 (Foto: Divulgação)

O River Plate ganhou os últimos cinco jogos da Superliga (vencida pelo Racing antecipadamente). Apesar da série positiva, o campeão da América não atravessa um presente brilhante nesta Libertadores. O time de Marcelo Gallardo vive situação incômoda após empates com o Alianza Lima, no Peru, e com o Palestino, no Monumental. Por essa razão está obrigado a conseguir ao menos um empate contra o Internacional, nesta quarta-feira, às 19h15.

Antes do duelo no Beira Rio, o River venceu o Talleres por 2 a 0 com dois golaços de Nacho Fernández. O resultado garantiu a quarta colocação do torneio que fecha a zona de classificação para a Libertadores de 2020, com seis pontos à frente do Atlético Tucumán, quinto colocado.

Para o encontro, o millonário não contará com os maiores destaques da equipe: Juan Fernando Quintero (fratura no joelho esquerdo) e Franco Armani (desgarro). Também estarão ausentes os lesionados Milton Casco, Exequiel Palacios e Ignacio Scocco. Por outro lado, Marcelo Gallardo volta ao comando da equipe após cumprir os quatro jogos de suspensão impostos pela Conmebol. O técnico havia sido punido justamente em Porto Alegre, na vitória por 2 a 1 sobre o Grêmio na semifinal, em outubro do ano passado.

Os argentinos possuem solidez defensiva e um coletivo de força indiscutível. Foi com a identidade desenhada por Gallardo que a equipe do Monumental triunfou na última Libertadores. O técnico montou uma equipe com força distribuída em todos os setores e uma força psicológica indiscutível. No perfil do ex-jogador, os volantes trabalham com o avanço dos laterais para que a bola chegue ao ataque. Igualmente, a alta pressão, identidade riverplatense, tem gerado problemas aos rivais. O treinador também desempenha seu estilo por meio do toque, é obsessivo no quesito tendo como prioridade que o River monopolize o controle da bola contra qualquer rival.

Provável escalação: Germán Lux; Gonzalo Montiel, Lucas Martínez Quarta, Javier Pinola, Fabrizio Angileri; Ignacio Fernández, Leonardo Ponzio, Enzo Pérez, Cristian Ferreira; Rafael Borré e Lucas Pratto. Gallardo também pode optar por uma linha de cinco defensores com a inclusão de Robert Rojar no lugar de Cristian. O jovem Ferreira é canhoto e ótimo substituto de Quintero nas bolas paradas da equipe.

O Inter nunca enfrentou os millonários pela Copa Libertadores. Contra times brasileiros, o River tem em seu retrospecto: dez vitórias, quatro empates e quinze derrotas. É o conjunto argentino que mais jogou o torneio continental, com 36 participações. Foi campeão quatro vezes (1986, 1996, 2015 e 2018) e finalista em duas oportunidades (1966 e 1976).

Campeão em 2015, semi-finalista em 2017 e de novo campeão em 2018, o time do Monumental é o melhor da Libertadores nos últimos anos. Nesta edição vai por mais: quer ser bicampeão, algo que uma equipe não conquista há 18 anos. E foi justamente o Boca Juniors de Carlos Bianchi que conseguiu em 2000 e 2001.

 

 



MaisRecentes

Messi tem retrospecto negativo contra o Brasil



Continue Lendo

O fim da peregrinação: San Lorenzo volta a Boedo



Continue Lendo

Maturana, o fantasma da Argentina contra a Venezuela



Continue Lendo
%d blogueiros gostam disto: