Rival de Botafogo na Sul-Americana vive época de ouro - Toco y me voy

Rival de Botafogo na Sul-Americana vive época de ouro



(Foto: Divulgação)

O Defensa y Justicia disputará pela terceira vez consecutiva a Copa Sul-Americana. A estreia será esta quarta-feira contra o Botafogo, às 21h30, no Estádio Nilton Santos. Na edição anterior, o time argentino ficou muito perto de ser um dos quatro melhores da competição. O elenco que se tornou a grande revelação do futebol nacional na última temporada, busca por mais a nível continental enquanto sonha com o título do Campeonato Argentino.

Para um clube humilde e de bairro, o torcedor do Defensa está vivendo o sonho de ver o time conquistando projeção internacional. Em 2017, na primeira ida ao Brasil, a equipe eliminou o São Paulo também pela Sul-Americana, em pleno Morumbi. Seu presente não é um produto do acaso. Depois de se sustentar durante o segundo semestre de 2018 como uma das equipes mais prestigiadas do país, durante os primeiros dias de 2019, escreveu novas páginas gloriosas em uma época de ouro. O Defensa derrubou gigantes, o exame final para validar as aspirações de lutar pelo campeonato de um grupo que há muito tempo abandonou o apelido de surpresa. A equipe de Sebastian Beccacece venceu o River Plate pela primeira vez no Monumental, na sequencia vieram vitórias sobre outros grandes: San Lorenzo, Vélez Sársfield, Rosário Central e Independente.

A equipe é a segunda colocada na Superliga Argentina, com 39 pontos – três a menos que o líder Racing. De 17 partidas disputadas, o Defensa venceu onze vezes e seis foram os empates. Qual seria o segredo para um clube habituado a ligas muito menores ser protagonista na Série A­? Apesar do orçamento limitado em comparação aos grandes da capital portenha, a equipe de Florencio Varela se transformou em terra prometida para aqueles que buscam uma nova chance no futebol nacional. A maioria dos jogadores do elenco principal foram descartados pelos clubes de maior envergadura.

E grande parte deste presente é focado no trabalho que tem sido feito na passagem anterior e atual do treinador Sebastián Beccacece, o ex assistente de Jorge Sampaoli na Seleção Argentina. Beccacece, apesar de jovem, prova que é um dos técnicos nacionais com maior projeção.

Conheça o elenco de “descartes” que ocupa o segundo lugar do campeonato argentino:

GOLEIRO

Ezequiel Unsai foi um promissor goleiro do Newell’s de Rosario, que teve uma ótima aparição na série A. Muitos o recordarão como o jogador que recebeu uma joelhada de Carlos Tevez, que o tirou do campo por 12 meses. Naturalmente, Ezequiel levou muito para recuperar a melhor forma. Até que foi contratado pelo Defensa, equipe que fez o goleiro recuperar as boas atuações que desempenhava na seleção argentina sub 20.

DEFESA
Alejandro Barboza, zagueiro revelado pelo River, nunca conseguiu ganhar um espaço na equipe principal, foi oferecido ao Defensa, onde se converteu em líder e figura. Lisandro Martinez, por sua vez, é mencionado como um dos melhores defensores centrais do país e já recebeu propostas do Boca. Seu último clube foi Newell’s, onde disputou apenas uma partida na primeira divisão, porque era considerado um jogador de baixa estatura para a posição.
Os laterais também são dois jogadores “descartados”: Nicolás Tripichio, disputou pelos juniores da seleção argentina, após o termino do seu contrato com o Vélez estava livre para acertar com um novo clube. Rafael Delgado, por outro lado, foi revelado pelo Rosário Central e também ficou livre em 2015. Jogou pelo Estudiantes de La Plata antes de fechar com o Defensa.

MEIO CAMPO
A lista segue e no meio temos o símbolo do futebol de Beccacece. Leonel Miranda, de 26 anos, foi revelado pelo Independiente e nunca subiu ao time principal. Foi cedido ao Houston Dynamo (EUA) e repatriado pelo Defensa em 2016. Outro dos acertos da equipe foi trazer jogadores “apostas” que logo explodiram, como o caso do paraguaio Matías Rojas, que veio do Cerro Porteño e atualmente é uma das revelações da Superliga. Rojas já havia jogado no país, pelo Lanús, mas teve poucas oportunidades. Na atual temporada soma 7 gols.

ATAQUE
Entre os atacantes há casos similares: Márquez deixou o Belgrano por baixos rendimentos; Ciro Rius foi revelado pelo Argentinos Jrs e no Defensa encontrou seu lugar no mundo; Gastón Togni deixou o Independiente por não faz parte dos planos. Nas novas incorporações de 2019 encontramos Bautista Merlini, volante revelação do San Lorenzo que buscava minutos e Fernando Barrientos, volante ex Lanús que disputou apenas 15 jogos entre 2016 e 2018.

Assim, o Defensa e Justiça conseguiu formar uma equipe repleta de jogadores que querem aproveitar essa oportunidade, que são gratos pela oportunidade e “revivem” novamente após serem descartados por outros clubes. O time base é formado por Unsain; Tripichio, Martinez, Barboza (C) e Delgado; Lolo Miranda, Togni e Blanco; Rojas, Rius e Nicolas Fernandez.



MaisRecentes

Messi tem retrospecto negativo contra o Brasil



Continue Lendo

O fim da peregrinação: San Lorenzo volta a Boedo



Continue Lendo

Maturana, o fantasma da Argentina contra a Venezuela



Continue Lendo
%d blogueiros gostam disto: