Racing é derrotado em clássico antes de enfrentar o Corinthians pela Sul-Americana - Toco y me voy

Racing é derrotado em clássico antes de enfrentar o Corinthians pela Sul-Americana



(Foto: TN)

O Racing visitou o River Plate na tarde deste domingo pela 18ª rodada da Liga Argentina. O time local venceu o duelo por 2 a 0 com gols de Juan Fernando Quintero e Milton Casco. Apesar da derrota, o clube de Avellaneda vive fase espetacular: vinha de oito jogos invictos, com sete vitórias e apenas um empate. A equipe lidera o campeonato nacional com três pontos de vantagem sobre o Defensa y Justicia, segundo colocado.

O grupo comandado por Eduardo Coudet aproveitou para tirar vantagem no torneio argentino no semestre passado, enquanto os clubes grandes estavam focados na Copa Libertadores. Agora, o papel é inverso: o Racing jogará contra o Corinthians pela primeira fase da Copa Sul-Americana na próxima quinta-feira, às 19h15, na Arena Itaquera; enquanto a maioria de seus rivais só disputarão o campeonato local.

Com foco dividido entre a competição continental e a Superliga, o Racing tem pela frente mais sete rodadas para que se consagre campeão argentino. Entre as duas partidas contra o time paulista, disputará dois jogos importantes que poderão aproximar o troféu: Godoy Cruz como mandante e clássico contra o Independiente fora de casa. Assim como neste duelo contra o River Plate, nenhum jogador será poupado. Apesar do desgaste físico e psicológico, Coudet quer o time 100% em ambas competições.

Líder desde a quarta rodada, o time de Avellaneda tem em Lisandro López a bandeira, o coração e o artilheiro do campeonato argentino. Depois da dura eliminação na Libertadores de 2018 no Monumental, disse em coletiva de imprensa que o Racing teria a obrigação de se consagrar campeão nacional. Marcou 14 gols em 16 partidas até o momento. Mas, o poder de conclusão não é seu único aporte: sua inteligencia para reconhecer os momentos do jogo destrava partidas complexas. Com quase 36 anos e movimentação de um “jovem craque”, quer terminar a carreira saindo campeão com o clube que o revelou.

Além de Lisandro, os atacantes do Racing sempre encontram gols. Os argentinos abriram o placar em quinze de dezessete partidas da Superliga. Os que mais realizaram o feito foram Lisandro López (5), Cristaldo (4) e Cvitanich (4). Quando os atacantes não aparecem, a bola parada também é alternativa: é o segundo conjunto que mais gols marcou por esa vía, foram dez no total. Nesta temporada, é o time que mais finalizou: tendo uma média de 14,2 vezes por partida. Também é a equipe que menos cometeu faltas, mas por outro lado, o que mais sofreu infrações (14 por jogo).

Junto de Defensa y Justicia, a “Academia” tem a defesa menos vazada do campeonato: recebeu apenas 10 gols. Os goleiros Gabriel Arias e Javier García tiveram bons rendimentos e o resto da explicação está na solidez defensiva: é o segundo time que menos recebe finalizações rivais, apenas 5,7% das jogadas terminaram em gols.

Jogando em casa é imbatível. Que o Racing seja forte no “El Cilindro” não é uma virtude única da equipe: 74% dos pontos foram obtidos como mandante nos últimos cinco anos. Nesta temporada, apenas quatro gols foram marcados contra o local: dois do Boca Juniors, um do San Lorenzo e um do Huracán.

Em cada posição tem dois jogadores de alto nível e boa trajetória, que o entrenador também tratou de potencializar. O Racing nunca sofreu pela lesão de seus atletas e sempre teve uma solução no banco.

O time titular deve ser o mesmo do Monumental: Arias; R. Saravia, Sigali, Donatti e Mena; Solari, Dominguez, Díaz e Cardozo; Cristaldo e Lisandro López. Reservas: Ricardo Centurión, Dario Cvitanich, Javier García, Iván Pillud, Andrés Rios, Alexis Soto e Federico Zaracho.

Antes de enfrentar o River Plate, Coudet testou Nery Domínguez no lugar de Ricardo Centurión. O ex São Paulo e Boca Juniors ainda tem titularidade contestada para o jogo contra o Corinthians devido o baixo nível que vem desempenhando.



MaisRecentes

Messi tem retrospecto negativo contra o Brasil



Continue Lendo

O fim da peregrinação: San Lorenzo volta a Boedo



Continue Lendo

Maturana, o fantasma da Argentina contra a Venezuela



Continue Lendo
%d blogueiros gostam disto: