Messi sendo Messi - Toco y me voy

Messi sendo Messi



Com trinta e quatro títulos conquistados por um único clube, Messi está perto de bater marca de Ryan Giggs (Foto: Reuters)

Desde sua estreia contra o Espanyol – há 15 anos – Lionel Messi passou mais tempo sendo campeão da Liga da Espanha do que testemunhando a consagração de outra equipe. Nunca em sua história o Barcelona exerceu uma hegemonia tão difundida no tempo. Na influência do camisa 10 reside boa parte da explicação. Com mais uma taça levantada, alcançada neste sábado no Camp Nou após a vitória por 1 x 0 contra o Levante com gol do argentino, o Barcelona soma dez consagrações desde 2004. E Messi aparece como o grande protagonista.

Com a nova conquista, a “Pulga” aumenta seu recorde e é o mais bem sucedido na história do clube com 34 títulos: 10 Ligas, 4 Champions League, 6 Copas del Rey, 8 Supercopas da Espanha, 3 Supercopas da Europa e 3 Mundiais de Clubes. Pela seleção argentina venceu apenas competições juvenis, como os Jogos Olímpicos e o Mundial sub-20. No total, o craque coleciona 663 gols oficiais, 271 assistências e o número sobrenatural de 51 hat-tricks.

Messi ainda caminha para um recorde assustador, que está somente em poder de Ryan Giggs. O ex-jogador do Manchester United é o único atleta na história a conquistar 36 títulos com o mesmo clube. O lendário galês iniciou sua carreira no Red Devils na temporada 90/91 e decidiu se aposentar em 2014. Com a décima liga alcançada, Messi deve agora conquistar a Copa del Rey e a Champions League para alcançar o ídolo do Manchester United. Por outro lado, Léo ainda deverá esperar mais alguns anos para alcançar o atleta de maior sucesso de todos os tempos: Dani Alves, com 42 títulos entre Bahia, Sevilla, Barcelona, Juventus, PSG e Seleção Brasileira.

Se repassarmos a lista dos melhores jogadores do mundo, Messi segue sendo o mais decisivo e tem caminho preparado para vencer a sexta Bola de Ouro. A Juventus de Cristiano Ronaldo já está fora da Champions, e a precoce eliminação do PSG na segunda rodada da competição significa que nem mesmo Mbappé e Neymar têm chances “sérias” de ganhar o prêmio de melhor jogador do mundo. Algo semelhante acontece com o Real Madrid de Luka Modric, atual detentor do prêmio. Outra das figuras que tem brilhado a nível mundial é Sergio Agüero. No entanto, o atacante também não está competindo pelo maior torneio da Europa, após derrota do Manchester City para o Tottenham de Pochettino.



MaisRecentes

Messi tem retrospecto negativo contra o Brasil



Continue Lendo

O fim da peregrinação: San Lorenzo volta a Boedo



Continue Lendo

Maturana, o fantasma da Argentina contra a Venezuela



Continue Lendo
%d blogueiros gostam disto: