Sofrência chega ao futebol



De tempos em tempos uma expressão nova aparece no futebol brasileiro. Já passaram por aqui o “jogar com inteligência”, “jogar com o regulamento debaixo do braço” e muitas outras. Depois de um período elas acabam virando clichês e perdem a força.

O Brasileirão de 2017 já tem a potencial expressão que poderá ser usada frequentemente por técnicos, jogadores, jornalistas e torcedores neste e nos próximos anos. Trata-se do “saber sofrer”.

Ela já foi utilizada por muita gente este ano aqui e ali, mas quarta-feira ganhou um adepto de muito peso: Galvão Bueno. Na transmissão de Barcelona de Guayaquil x Palmeiras, a bola mal começou a rolar e ele mandou: “Este é jogo em que o Palmeiras tem de saber sofrer.” Se havia alguma chance de a expressão não pegar, ela acabou depois que o maior e mais influente narrador do esporte brasileiro falou isso em cadeia nacional.

Antes dele, outras figuras do futebol também falaram sobre sofrimento. “Saber sofrer” explicou em parte o motivo de o Corinthians ter ido a Porto Alegre enfrentar o poderoso Grêmio e ter saído de lá não com um ponto, mas três na vitória por 1 a 0. O Timão foi pressionado, mas não se afobou e em uma trama bem feita, conseguiu o gol da vitória.

“O time está sabendo sofrer”, falou Carille. Jô foi na mesma linha: “O time está aprendendo a saber sofrer.” E a mesma coisa foi dita por Jair Ventura numa vitória do Botafogo contra a Chapecoense por 2 a 0 e com o mesmo roteiro: time pressionado e letal nos contra-ataques, que garantiram a vitória.

Antes de ser mais utilizada como está sendo agora a expressão já havia aparecido há alguns anos atrás na boca de alguns jogadores que disputaram a Copa de 2014. Naquele grupo havia uma crença de que vencer demandava sacrifício e… sofrimento. Acabou naquilo que todo mundo sabe.

Pode ser o estilo de jogo do Corinthians, líder disparado do Brasileiro, pode ser o sucesso improvável de um Botafogo sem estrelas, mas absurdamente disciplinado taticamente em campo. Fato é que sofrimento se transformou no caminho que levará ao sucesso.

Nada mais equivocado do que acreditar nisso. Há várias formas de se vencer. E mesmo Corinthians e Botafogo fazem mais em campo do que sofrer.



MaisRecentes

Waldir Peres foi um herói improvável



Continue Lendo

A nova moda dos técnicos



Continue Lendo

Trabalhos incompletos favorecem jogo reativo



Continue Lendo