Agora é com Leco



Em 2013, o São Paulo se instalou na zona do rebaixamento e não dava sinais de reação com Paulo Autuori. Muricy Ramalho voltou ao comando do time como uma espécie de salvador da Pátria. Em sua primeira partida, o novo treinador venceu a Ponte Preta no Morumbi no dia 12 de setembro e iniciou ali a caminhada que evitou a Série B.

Após a partida, Rogério Ceni deu a seguinte declaração, ainda dentro do campo:

– São caras como o Muricy e o Paulo (Autuori) que a gente tem que respeitar. Porque o Telê morreu. O Paulo nós matamos em dois meses. Dos grandes campeões das duas últimas décadas, sobrou ele. Se a gente não cuidar dele, quem vai ser o próximo?

Ontem acabou a passagem de Rogério Ceni pelo São Paulo como treinador, depois de seis meses de um trabalho que foi pior do que se imaginava quando ele chegou ao clube nesta função, cheio de ideias modernas e empolgação.

Ontem não teve nenhum ídolo para repetir o que o ex-goleiro falou quando Muricy retornou ao São Paulo. Porque talvez Rogério tenha sido o último a ser triturado por uma diretoria errante e sem rumo.

Depois da passagem fracassada pelo clube e do capítulo final de ontem, está claro que Rogério embarcou nessa por duas razões: primeiro, inebriado pela confiança (que alguns chamam de arrogância) que ele tem em si mesmo. Segundo (e mais importante) porque uma diretoria espertalhona viu no ídolo do clube um grande cabo eleitoral para o pleito do começo do ano.

Se Rogério Ceni merecia continuar no São Paulo com o desempenho que vinha entregando? Pouco importa a partir de agora. Fato é que ele não está mais lá e está esgotado o estoque de ídolos que a diretoria poderá usar como escudo para seu trabalho, que está abaixo de qualquer crítica.

Nem mesmo dentro de campo há quem possa ajudar a diretoria. O único com história dentro do clube é Lugano, que o presidente Leco fez todos os esforços para que não renovasse contrato. O grupo agora é formado por jovens recém saídos da base, desconhecidos pescados aqui e ali e algumas figuras com mais nome, mas que mal sabem o que é o São Paulo.

Não há mais ninguém. A partir de agora é com Leco e sua turma.



MaisRecentes

Erros de arbitragem têm pesos diferentes em rodadas diferentes



Continue Lendo

Esqueça o fair play



Continue Lendo

Corinthians já tem o diagnóstico, mas ainda não encontrou a cura



Continue Lendo