Os sinais que os números dão ao Corinthians



O Corinthians é o que de mais impressionante vem acontecendo no Brasileiro até aqui. Nunca neste momento da competição desde 2006, um time teve desempenho tão bom. São 19 pontos e aproveitamento de incríveis 90,5%). O recorte foi feito a partir de 2006 porque este foi o ano em que pela primeira vez o campeonato foi disputado por pontos corridos e com 20 clubes. Desde então, o regulamento não foi alterado.

A pergunta do milhão é: “será possível parar o time de Fabio Carille?”. A resposta é impossível de ser dada agora, mas os campeonatos anteriores nos dão algumas pistas.

Uma boa notícia para o corintiano é saber que das onze edições entre 2006 e 2016 em apenas duas o campeão não estava em uma das cinco primeiras posições após o fim da sétima rodada. Por outro lado, o líder da sétima rodada apenas duas vezes terminou levantando a taça ao final (o próprio Corinthians em 2011 e o Cruzeiro em 2014).

O Internacional de 2016 é um bom exemplo para o Corinthians se ater para que o excesso de confiança não atrapalhe nenhum sonho. O Colorado era líder do Brasileirão com 16 pontos e terminou o ano rebaixado para a Série B. Mas talvez a maior lição de que a liderança na sétima rodada não necessariamente significa sucesso é o próprio Timão quem pode dar. Em 2007, o ano mais terrível da história do clube, o líder neste momento do campeonato era… adivinhou se você respondeu o Timão. Ele estava lá, em primeirão, com 15 pontos ganhos. A temporada terminou da maneira que todo corintiano quer esquecer, com o rebaixamento.

Queda de rendimento de líderes da sétima rodada do Brasileiro também acontecem. Além dos dois rebaixados citados (Inter e Corinthians), teve o Coritiba que liderava em 2013 neste momento com 15 pontos e terminou no meio da tabela, na 11a posição o campeonato.

Outro dado interessante sobre este ano é a diferença de pontos entre o líder e os times que começaram o Brasileiro como favoritos título. O Corinthians tem nove pontos de vantagem sobre o Flamengo, 12 sobre o Palmeiras e 13 sobre o Atlético Mineiro.

Pistas à parte, fato é que o Corinthians sobra neste começo de campeonato e isso não aparenta ser obra do acaso, porque o time vem jogando bem e mesmo quando é pressionado (como foi contra o Cruzeiro), sabe se defender muito bem. E vai acumulando pontos.



  • Usou de estatística para fazer uma comparação sem sentido e mal embasada. É a mesma coisa, por exemplo, usar da estatística para dizer que o Coritiba nunca perdeu do Corinthians no brasileirão jogando no Couto Pereira num domingo num jogo as 11 horas da manhã. E afirmar que isso pode ser bom ou ruim para um time ou para o outro. Percebe que é uma informação mal embasada que não chega a resultado útil nenhum? Isso é manipular os números para defender uma afirmação fraca e sem embasamento algum.

  • Francis Almeida

    Pq não acham outro time para “gorar” somos a 4 força, tirem os holofotes de nós. Façam como os comentaristas das emissorias famosas de esporte fizeram, falem que o Palmeiras, Atlético Mg, Flamengo, esse poderam ser campeões, são os melhores, mas deixem o Corinthians assim mostraremos que a 4 força é o grande que é.

    Claro que nem um time é imbatível, uma hora o time vai perder e é tudo o que a impressa que, para poder crucificar e falar, pois é o que a impressa gosta de fazer.

  • Ah, mano, já estão secando e preparando a cama. Acham que o Coringão vai cair de produção e despencar pro meio ou fim da tabela. Mas não precisa temer, mano, aqui é Corintia e não estamos preocupados se vamos ganhar ou perder esse título e nem aí com o que acham os antis (que devem, como sempre, por na conta do juiz se a gente ganhar e tirar onda se perder… São tão repetitivos e óbvios…)

  • Corinthians

    Muito cedo pra saber. Mesmo os bi da B que hj estão 12 pontos atrás de nós nos passariam tirando 3 pontos a cada 5 rodadas. Não é muito. A mídia fala um monte, a cada entrevista coletiva pós jogo pergunta pro Carille sobre título. Nunca um jogador, membro da comissão, diretoria ou mesmo torcedor falou que seremos campeões. Aí daqui a pouco vem uma oscilação e os antis e a própria mídia vêm dizer “ué, vcs não disseram que seriam campeões invictos?”. Igual ao caso Drogba. Todas as vezes que o Flávio Adauto deu declarações sobre o assunto ele disse que seria difícil, que tinha feito uma proposta e aguardava a resposta. Nada demais. Não foi igual ao caso Anelka em que o presidente do Galo foi ao twitter anunciar a contratação do jogador que nunca chegou. Parem de bobagem e não coloquem na nossa conta depois.

MaisRecentes

Segue a tempestade no São Paulo



Continue Lendo

Lições do Brasileirão



Continue Lendo

O Imortal Grêmio ressuscitou o jogo bonito no Brasil



Continue Lendo