A culpa é da imprensa



Três grandes treinadores do futebol mundial estiveram reunidos nesta segunda-feira na sede da CBF para palestras seguidas de um debate sobre futebol. Fabio Capello, Marcelo Bielsa e Tite.

Foram palestras bem interessantes, destaque para Bielsa, que dissecou a Seleção Brasileira, as várias formas de se montar o time, características de jogadores, a polivalência do atleta (algo que ele defende com unhas e dentes). Entre uma e outra observação, Capello disse que David Luiz não sabe marcar e que por isso Antonio Conte utiliza uma formação com três zagueiros. Afirmação controversa, claro, mas foi muito interessante ter o trio debatendo futebol.

Porém, entre tantas coisas ditas por Bielsa e Capello algo chamou a atenção: a aversão da dupla à imprensa. Capello focou sua palestra em determinados momentos a lembrar casos em que a assuntos internos de seus times foram revelados. E contou que na Inglaterra a cobertura dos clubes e da Seleção é algo gigantesco e massante (ele talvez não saiba, mas é muito parecido com o Brasil). Bielsa foi mais além e disse que “os meios de comunicação se especializaram em perverter a imprensa”. Na visão do argentino, o papel dos meios hoje é mais importante do que o da educação.

A principal crítica de Bielsa é sobre como o debate esportivo está reduzido em analisar vitórias e derrotas, como se elas explicassem todo o trabalho e desempenho de um time.

É difícil entender a missão da imprensa em qualquer área. No esporte um pouco mais por envolver paixão e grande dose de subjetividade.

Uma imprensa dócil, que não ataca pontos relevantes e não revela o que muitos tentam esconder não é imprensa. Ninguém precisa amar a imprensa, mas ela deve ser respeitada e a sua missão deve ser entendida.

Talvez os treinadores não tenham este entendimento e imaginem que o trabalho seja estar ao lado do time em qualquer momento. Este é o papel do torcedor, que muitas vezes também critica, e com muito menos razão e alta dose de emoção.

Por outro lado, é um exercício diário que o jornalista deve fazer: analisar o quanto está contribuindo para elevar o nível do debate. Isso é bom para todas as partes. Neste aspecto (como também em outros) as palestras de Bielsa e Capello valem muito.

Afinal, ultimamente tem sido comum decretar que “a culpa é da imprensa”. Mesmo quando ela não tem culpa nenhuma.

As palestras completas de Tite, Bielsa e Capello podem ser vistas aqui



  • Eduardo Blikstein

    Toda área existem maus profissionais e a imprensa é exemplo disso. Só que o jornalismo é fazedor de opiniões. Sendo que as pessoas despreparadas não pensam antes de falar. Você que é da área sabe: sai cada merda.

  • Eidur Rasmussen

    Belo texto. Só corrija a palavra “maçante”.

MaisRecentes

A nova moda dos técnicos



Continue Lendo

Trabalhos incompletos favorecem jogo reativo



Continue Lendo

Uma espécie em extinção



Continue Lendo