Até a Chape sofre com a torcida



Logo após o acidente da Chapecoense um mar de solidariedade surgiu. Foram homenagens no mundo todo (destaque para o povo colombiano), clubes brasileiros anunciando ajuda, treinadores oferecendo seus serviços… tudo dando a impressão de que viveríamos um novo tempo de menos individualismo, violência, mais paciência e cooperação. Este seria o legado positivo diante da maior tragédia já vivida pelo futebol brasileiro.

Como sempre, o tempo foi passando, a dor foi se ajustando aos corações, a vida continuou, a bola começou a rolar, outras questões foram tomando importância. O primeiro sinal de “normalidade” mais claro foi no amistoso da Seleção Brasileira contra a Colômbia no Engenhão. O público pequeno já era um aviso.

Outro está começando a aparecer em Chapecó. Parte da torcida começa a se incomodar com a má-campanha do time neste começo de temporada. Foram três derrotas nas últimas três partidas. A situação no Campeonato Catarinense é difícil e a classificação está ameaçada.

Wagner Mancini tem se esforçado nas explicações sobre o desempenho ruim da Chape. Elas são óbvias e corretas: foi formado um elenco inteiro há menos de dois meses. Não há entrosamento possível diante deste quadro.

Mas quem disse que isso está acalmando o torcedor? As críticas já começaram, a pressão já existe revelando um cenário inimaginável dias depois que o avião da LaMia se espatifou no chão dizimando elenco, comissão técnica, dirigentes e jornalistas.

O próprio Mancini ainda parece espantado com o começo da pressão. Ele, como quase todo mundo, imaginava um grande dose de paciência, compreensão e união neste momento de reconstrução.

Hoje, a arquibancada da Arena Condá mostra uma divisão. A maior parte da torcida apoia o time, entende o processo de reconstrução. Parte exige vitórias e tem feito uma comparação injusta e desleal, com o time que desapareceu na Colômbia.

O recado que fica é o de que nem mesmo uma tragédia de tamanha proporção é capaz de amolecer corações mais duros. Ainda mais quando o cenário é de um campo de futebol e um jogo que determina vencedores e vencidos.



  • Thiago Lima

    Uma pena esse cenário já estar rondando do time de Chapecó, espero que eles se reconstruam de forma digna, pois merecem, um ano no mínimo seria o necessário para o time chegar perto do que era do ano passado!

MaisRecentes

Calma, Corinthians!



Continue Lendo

A imagem da semana



Continue Lendo

Ele torce para o meu time!



Continue Lendo