A LaMia e a Conmebol



Aos poucos o choque vai passando. A dor não passa, mas vai se acomodando dentro dos corações. Agora parece ser a hora em que a revolta começa a ganhar espaço.

Quando uma fatalidade mata, a revolta é contra algo que não conhecemos bem: o destino, o azar, forças além de nossa compreensão. Mas dia após dia fica mais evidente que o acidente que dizimou o time e a direção da Chapecoense além de jornalistas não foi obra do acaso, mas de negligência e irresponsabilidade de uma empresa de aviação pequena e quase obscura.

E o que é mais espantoso nisso tudo é que a LaMia agia praticamente como uma parceira da Conmebol e de confederações nacionais. Antes de transportar (e assassinar) a delegação da Chapecoense, a empresa Venezuelana carregou a seleção da Argentina e da Venezuela. O avião (o único entre os três da empresa que estava em operação) frequentemente era utilizado por clubes sul-americanos. Além disso, os registros de voo indicam que nos últimos cinco meses a aeronave teve como destino mais frequente Assunção, no Paraguai, local em que está situada a sede da entidade máxima do futebol sul-americano. Há relatos ainda de que a empresa era a indicada pela confederação quando algum clube pedia sugestão de voo fretado.

Algumas perguntas precisam ser respondidas, senão agora, quando a vida de todos de alguma forma começar a retomar o seu rumo. A primeira delas: por que uma entidade do tamanho da Conmebol mantinha uma relação tão estreita com uma empresa de aviação que se mostrou tão negligente? Como foi possível que marcas importantes do futebol mundial pudessem ter utilizado os serviços da LaMia? Apenas um piloto irresponsável sabia dos procedimentos de sua empresa? As vidas de tanta gente estiveram nas mãos dele e apenas dele durante tanto tempo?

As entidades que mandam no futebol e seus representantes já têm muito a dizer sobre várias outras coisas além de um acidente aéreo. Mas se a investigação for a fundo não será surpresa se tiverem o que dizer também sobre a tragédia.



MaisRecentes

O mundo gira



Continue Lendo

Dérbi não vale. Mas vale!



Continue Lendo

Agora vai?



Continue Lendo