O palmeirense



palmeirasFicou famosa a frase de Zé Roberto “O Palmeiras é grande!”, dita quando ele chegou. Recebida com orgulho pelos palmeirenses e com uma dose de ironia pelos rivais.

Não que o palmeirense precisasse provar o tamanho de seu clube, mas ontem ele foi às ruas e a cidade, o Estado e o país voltaram a perceber a dimensão do colosso verde. Desde as primeiras horas da manhã o espaço público foi tomado por torcedores de camisa verde, de carros com bandeiras, de gente com faixas. O ambiente foi tomado por baterias e rojões aqui e ali.

Ontem foi o dia de o palmeirense não só ganhar com autoridade o campeonato nacional mais importante do calendário brasileiro, mas de mostrar a todos a força e o sangue apaixonado que une esta “família” (que é a forma como os torcedores deste time gostam de falar).

O Allianz Parque bater seu recorde de público contra a Chapecoense foi apenas um sinal do que é o palmeirense. Porque nesta temporada ele não se contentou em estar no campo, mas decidiu estar em todos os lugares. Desde quando tomou as ruas próximas do estádio e não se conformou com uma absurda proibição da PM, até quando fez a sua festa dentro do aeroporto de Congonhas (em que pese os excessos aqui e ali).

Diante deste cenário, o jogo contra a Chape foi quase um detalhe neste capítulo final que decretou o título. Mais do que qualquer jogador em campo e mais do que qualquer jogada ensaiada armada por Cuca, o 27 de novembro de 2016 será marcado como o dia que a torcida foi maior do que tudo.

Os palmeirenses estão espalhados por todo o Brasil. Mas uma imagem registrada no ABC paulista antes de a bola rolar neste domingo talvez seja um resumo lúdico do Palmeiras, de sua torcida e mais amplamente, do futebol: um jovem (provavelmente o pai) andando na rua de mãos dadas com duas garotinhas vestidas com a gloriosa camisa 10 do Verdão. Um retrato do orgulho de ser palmeirense, do orgulho de pertencer a uma família e, mais do que isso, o retrato de um dia que eles jamais vão se esquecer. Coisas que o futebol faz.

* A foto deste post é de Julio Cesar Pereira Junior (@juliocpjr)



MaisRecentes

Esqueça o fair play



Continue Lendo

Corinthians já tem o diagnóstico, mas ainda não encontrou a cura



Continue Lendo

Brasileiro agora será disputa psicológica



Continue Lendo