Tite conta com boa vontade de todos



Tite inicia amanhã sua trajetória na Seleção Brasileira com uma condição que nenhum dos seus sete antecessores tiveram: a enorme confiança da torcida e a grande boa vontade da imprensa esportiva. O último treinador a ter tamanho apoio no seu início de trabalho foi Vanderlei Luxemburgo, há nada menos do que 18 anos. Luxa assumiu a Seleção após os 3 a 0 sofridos pelo Brasil na final da Copa contra a França. Melhor técnico do país na ocasião, era a esperança de um futebol moderno, ofensivo e eficiente, o mesmo modelo adotado por ele em seus clubes no Brasil.

A CPI da Nike/CBF tratou de transformar os sonhos em uma dura realidade, Luxemburgo caiu e os seis homens que dirigiram a Seleção depois disso nunca tiveram tamanho campo tranquilo para trabalhar. A lista: Leão, Felipão, Parreira, Dunga, Mano Menezes, Felipão e Dunga novamente. Nenhum desses sujeitos contou com o apoio que Tite tem agora. Felipão precisou ser campeão do mundo em 2002 para que acabassem as críticas por ele não ter convocado Romário. Não custa lembrar a prensa que ele tomou de torcedores na porta da CBF pouco antes do embarque para o Japão.

Tite fez uma convocação que, anunciada por qualquer outro treinador, seria taxada de, no mínimo, controversa. Saída da cabeça dele, foi classificada como “corajosa. Pensando no time que ele quer em campo. É compreensível. O Gaúcho tem sido o melhor treinador brasileiro com alguma folga há anos. Levou o Corinthians à conquista da Libertadores, do Mundial, de títulos nacionais. Seu último ato talvez tenha sido o mais difícil e que merece mais aplausos. No prazo de alguns meses montou um Timão no início apenas eficiente mas que, ao longo do Brasileiro praticou um jogo moderno, seguro e ao mesmo tempo ofensivo. Terminou o Brasileirão de 2015 com o melhor ataque e a melhor defesa da competição. Tudo isso leva a torcida a crer que o sucesso será replicado na Seleção.

O treinador ainda teve um bônus de confiança adicional. A medalha de ouro olímpica que, se não teve a participação dele, tirou um enorme peso das costas de todos.

Os confrontos contra Equador e Colômbia devem ser complicados. Como a confiança da torcida e paciência da imprensa são enormes, Tite tem uma boa onda para surfar. Tem de saber aproveitar.



MaisRecentes

Dérbi não vale. Mas vale!



Continue Lendo

Agora vai?



Continue Lendo

Corrida de técnicos



Continue Lendo