Santos incomoda o Corinthians como poucos



Os últimos seis jogos entre Santos e Corinthians registraram quatro vitórias do Peixe, uma do Corinthians e um empate. Ontem, na Vila Belmiro, o time da Baixada conseguiu mais uma vez fazer o que poucos rivais conseguem fazer: deixar o Timão desconfortável em campo.

O Corinthians de Tite, mesmo dilapidado pelo tsunami chinês e em reconstrução, não perdeu uma característica importante: joga o jogo sem sofrer grandes pressões, normalmente não se incomoda de não ter a posse da bola e garante resultados com um setor defensivo bem postado e com chegadas letais ao campo de ataque. Algo que não aconteceu neste domingo.

Ontem, quem esteve à vontade em campo foi o Santos. Tite tentou impedir que Lucas Lima jogasse sicionando dois volantes lado a lado e três homens na frente (além do atacante sozinho no comando do ataque). A resposta santista foi posicionar Lucas Lima atrás destes volantes. E o meia da Seleção Brasileira deitou e rolou, criou as melhores possibilidades para seu time. Foi o maestro o jogo, sobretudo no primeiro tempo.

O primeiro gol santista saiu de um tipo de jogada que raramente algum adversário do Corinthians consegue fazer, que é sair jogando com a bola de pé em pé sem sofrer com a marcação adiantada típica do time de Tite. Foram poucas trocas de passes até o arremate final: Renato saiu jogando, lançou Lucas Lima, que abriu na lateral. O Santos chegou ao gol em um instante.

No segundo tempo houve aquele recuo de praxe de quem está na frente do placar. O Santos se postou mais trás e viu o Corinthians pressionar. Abusando dos cruzamentos na área, nem mesmo aquela sorte quem vem soprando para os lados do Timão apareceu desta vez.

Pelo contrário, o que sobrou foi espaço para o contra-ataque, outra coisa que raramente o time bem postado de Tite concede. Ontem afrouxou e o Santos chegou ao segundo gol, o segundo de Ricardo Oliveira. O atacante santista chegou a uma interessante marca contra este adversário: seis jogos e cinco gols.

Para o campeonato, a vitória santista vale pouco, bem como a derrota corintiana. Mas a capacidade de a equipe da Baixada incomodar o time de Tite os últimos tempos é algo para ser observado.



MaisRecentes

Até mais!



Continue Lendo

Bem-vindo à Seleção, Tite!



Continue Lendo

Evolução



Continue Lendo