Palmeiras: poderia ter sido melhor



Era jogo de Libertadores, mas não havia pressão no local. O estádio nem estava cheio, a arquibancada não “entrou em campo” e a torcida visitante chegava em alguns momentos a fazer mais barulho. Este foi o cenário que o Palmeiras encontrou em sua estreia na competição sul-americana.

Foi a primeira boa notícia da noite. A segunda demorou a chegar. Com mudanças na escalação, o Palmeiras não era muito pressionado pelo rival, mas também não ia bem. Dudu postado como homem de criação não tinha parceiros por perto. O time se espalhava quando ia para o ataque. Os passes longos voltaram a aparecer.

Até que uma jogada efetivamente coletiva finalmente aconteceu. Thiago Santos, volante marcador que entrou no lugar de Robinho, fez o desarme no meio-de-campo, a bola foi para Dudu que deu um passe preciso para Jean, que abriu o placar. Em um jogo que estava igual, sair na frente no placar era um grande feito.

A partir daí o River foi para cima. Marcou no campo de ataque, pressionou uma zaga que saía jogando mal e foi criando chances, cruzando bolas na área e às vezes entrando tabelando.

O Palmeiras rezava para o primeiro tempo acabar. Além da vantagem no placar, o time brasileiro terminou o primeiro tempo com quase 62% de posse de bola. Muito do que era necessário para controlar a partida na fase final.

Gabriel Jesus entrou no lugar de Erik na volta para o segundo tempo. Era o homem que poderia puxar um contra-ataque, aproveitando os espaços que o River naturalmente daria. O problema é que o Palmeiras ficou encaixotado e abusando novamente dos lançamentos longos. Um presente para o River, que empatou logo no começo.

Alecsandro entrou no lugar de Barrios e, em sua primeira participação, tocou a bola para Gabriel Jesus marcar. As duas substituições de Marcelo Oliveira resultaram no gol que deixou o Verdão de novo na frente do placar.

A vantagem durou pouco e o time uruguaio empatou em um escanteio.

O jogo entrou aquela fase em que nenhum dos times avança com toda a alma com medo de um contra-ataque. Dudu sumiu, mas o Palmeiras ainda assim conseguiu pressionar o rival e criou algumas chances. O empate acabou bom para o Palmeiras. Mas ficou uma sensação de que, com um pouco mais de toque de bola, o Verdão poderia voltar com três pontos na bagagem.



MaisRecentes

Satisfeitos com pouco



Continue Lendo

Calma, Corinthians!



Continue Lendo

A imagem da semana



Continue Lendo